BRB tem até 1bi para empreendedores

BRB liberou até agora R$ 100 milhões

Na contínua missão de dar respaldo à economia do Distrito Federal durante as medidas restritivas para conter o novo coronavírus, o Banco de Brasília (BRB) liberou, até hoje, R$ 100 milhões por meio do programa Supera-DF.

Trata-se de linha de crédito especial foi criada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) e direcionada ao comércio e a empreendedores para “superar a crise”, em decorrência da pandemia. O programa tem até R$ 1 bilhão disponível para clientes do banco.

Pelo menos, até o momento,  já foram 1,3 mil empresas beneficiadas pelo programa elaborado para ajudar pessoas jurídicas e físicas. Objetivo é minimizar os impactos econômicos provocados pelo fechamento parcial do comércio no DF. Os números foram atualizados até a noite de sexta-feira (03).

Do total de empresas atendidas, 450 já eram clientes antigos do BRB, e outras 850 ainda não eram correntistas. Dos novos clientes, 500 optaram por abrir a conta e 330 deles já tiveram o dinheiro disponibilizado para atenuar o momento de crise econômica global.

Ainda de acordo com a instituição, “a taxa de aprovação dos pedidos de concessão de crédito por meio do Supera-DF ultrapassa os 77% e engloba empresas de diferentes setores da cadeia produtiva do Distrito Federal”.

Expansão do Supera-DF

Essa linha de crédito especial foi lançada em 15 de março, com condições especiais lançadas pela instituição financeira em um momento no qual pequenos, médios e grandes empresários falam em prejuízos e demissões provocadas pelo fechamento do comércio para conter a disseminação do novo coronavírus na capital.

O BRB decidiu, ainda, ampliar as soluções a fim de minimizar os impactos econômicos provocados pela crise na saúde, que acabou virando também uma crise econômica. O programa Supera-DF tem, além da liberação de R$ 1 bilhão, outras ações para o setor produtivo.

Entre elas, a suspensão, por 90 dias, de cobranças das contratações já realizadas por empresários e a atuação em três linhas de crédito específicas, que têm prazo de carência para o pagamento da primeira parcela.
Para quem deseja investir, tem até 24 meses de carência e 60 meses para pagar, com juros de 0,92% ao mês. Os cartões terão seis meses de carência e 36 meses para pagar a 0,80% de juros. Para capital de giro, a carência será de um a quatro anos para quitar a dívida.

“Todos os setores da economia podem ter acesso ao crédito. Quanto à suspensão do pagamento de crédito adquirido por até 90 dias, só vale para quem estava em dia com as parcelas até 18 de março. Devedores não terão direito à prorrogação”, afirmou o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

Para ter acesso ao benefício, correntistas poderão entrar em contato com o gerente, conversar pelo WhatsApp ou solicitar pelo telefone. Quem não é correntista tem a opção de ligar na central de atendimento, por meio do número 3222-1515.

BSBTimes
Com informações de Agência Brasília
Foto: Arquivo/Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui