Sirene toca na Papuda, familiares ouvem tiros e entram em desespero

Brasília(DF), 20/02/2016 - Papuda - centro de internamento e reeducação Papuda. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

A confusão ocorre três dias depois de uma tentativa de fuga em massa no presídio

Fonte: Metrópoles -Mirelle Pinheiro

clima voltou a ficar tenso no Complexo Penitenciário da Papuda. Familiares que aguardavam na porta da Penitenciária do Distrito Federal (PDF 1) entraram em pânico quando a sirene tocou, na manhã desta quarta-feira (20/05). Barulhos de tiros também foram ouvidos do lado de fora.

A confusão ocorreu três dias depois de uma tentativa de fuga em massa no presídio, que é o principal foco de coronavírus no Distrito Federal. Os últimos dados apontam que, entre servidores e detentos, há 758 testes positivos para Covid-19 no sistema. Como medida de prevenção, os presos estão sem receber visitas há mais de dois meses.

Ao Metrópoles, o subsecretário do Sistema Penitenciário do DF (Sesipe), Adval Cardoso de Matos, disse que detentos brigaram durante o banho de sol e o efetivo teve disparar tiros de borracha para o alto.

Veja os vídeos na matéria original AQUI!

“Alguns internos se desentenderam e os policiais, conforme os protocolos do presídio, pediram reforços do grupo especializado — o Dpoe. Os envolvidos foram identificados e responderão disciplinar e criminalmente”, explicou Adval Matos.

A sirene só é toca em casos extremos na Papuda. É um sinal de pedido de socorro. O acionamento é feito apenas em casos de brigas que saíram do controle dos policiais e em rebeliões.

Por meio de nota à imprensa, a Sesipe acrescentou que os tiros disparados, com munição não letal, foram de advertência e para “controlar a situação”. “Os envolvidos sofreram lesões leves, sem a necessidade de atendimento hospitalar, decorrentes do desentendimento entre eles. Eles foram encaminhados à delegacia de polícia. A Sesipe esclarece que será instaurado procedimento administrativo para verificar as circunstâncias do ocorrido”, diz o texto.

Tentativa de fuga em massa

Presos do Centro de Detenção Provisória (CDP), no Complexo Penitenciário da Papuda, tentaram fuga em massa na madrugada de domingo (17/05). A ação ocorreu por volta de 1h. Segundo informações obtidas pelo Metrópoles, os presos quebraram todos os cadeados das celas da Ala B.

Os detentos ficaram soltos pelos corredores e tentaram quebrar a parede do Pavilhão de Segurança Máxima (PSM). No local, há vários criminosos ligados a facções – eles são chamados de “faccionados”.

Ainda de acordo com as informações obtidas pela reportagem, quando os policiais do plantão passaram por perto, viram os presos soltos na galeria e acionaram todos os diretores para comparecer ao local.

Os policiais penais também pediram reforço da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (DPOE) e a situação foi controlada. Segundo a Sesipe, “durante ronda rotineira nas alas na madrugada deste domingo, policiais penais flagraram internos nas galerias do Centro de Detenção Provisória, onde foram capturados pelos policiais penais”.

Ainda de acordo com a subsecretaria, “os internos foram reconduzidos para outra cela e os detalhes da tentativa de fuga serão devidamente apurados. Os autores foram identificados e responderão administrativamente e criminalmente, pelos atos cometidos”.

Coronavírus
O sistema penitenciário do Distrito Federal registrou, nessa terça-feira (19/05), 10 novos casos confirmados do coronavírus. Com isso, o número de infectados subiu para 758. Também foram computadas duas mortes: de um servidor e de um interno.

Do total de contaminados, 555 são detentos e outros 203, policiais penais. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF), 105 dos servidores já se encontram recuperados.

Quatro policiais penais estão internados, sendo um no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e outros três em hospitais particulares do DF. Os demais apresentam sintomas moderados e foram afastados das atividades.

A SSP-DF ainda afirma que já foram aplicados, pela Secretaria de Saúde, mais de 3,2 mil testes em internos e policiais penais no DF.

BSB TIMES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui