Homem que acusa PMs de espancamento em Planaltina faz corpo e delito

“Naquele momento eu só achava que ia morrer’, diz homem negro agredido por PMs no DF

Vídeo mostra Wellington Luiz sentadlo, em frente a supermercado, quando militares batem nele durante abordagem. Secretaria de Segurança diz que acompanha investigação; PMDF afirma que policiais foram afastados das ruas.

O homem negro, de 30 anos, agredido por policiais militares em Brasília disse, nesta quarta-feira (3), que pensou que ia morrer. A agressão aconteceu na noite de segunda (1º), em frente a um supermercado na região de Planaltina.

“Na saída do mercado eu fui abordado por estes PMs que me enquadraram e me revistaram”, disse Wellington Luiz Maganha. O homem, que trabalha como vendedor ambulante, explicou que não tinha nada nos bolsos, a não ser um documento.

“Durante a revista, começaram a me agredir. Soco na costela, cassetete. Caí no chão, tacaram pedra e spray de pimenta na cara. Naquele momento, eu só achava que ia morrer.”

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal disse que acompanha as investigações. Segundo a pasta, “as atitudes dos militares em nada correspondem às diretrizes de abordagem e conduta preconizadas pela corporação”.

Em nota, a Polícia Militar do DF informou que o caso “é um fato isolado” e que será apurado pela corregedoria da corporação. Segundo a corporação, os policiais foram afastados das ruas.

Nesta manhã, Wellington Luiz passou por exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML). O laudo vai confirmar a gravidade das agressões, há suspeita de uma lesão na clavícula e as costas do ambulante estão marcadas.

“A gente não merece, é cidadão trabalhador. A gente não merece ser esculachado por quem deveria proteger a gente.”

As imagens das agressões foram gravadas por um jovem, que estava no local (veja vídeo acima). Ele prestou depoimento à Polícia Civil e confirmou que o vendedor ambulante foi chutado e espancado com cassetetes durante a abordagem.

Segundo o rapaz, eram entre 21h30 e 22h de segunda-feira. Nas imagens, é possível ver que Wellington não resistiu na hora da abordagem, mas tentou fugir das agressões.

“Eu não fiz nada de errado, senhor. Eu não fiz nada de errado. Vai embora, vai embora. Ai, ai, ai, ai, ai”, diz a vítima enquanto leva golpes de cassetetes.

Ao final da gravação, o mesmo policial que estava com o cassetete pega algo do chão e arremessa contra a vítima. O vendedor ambulante, então, atravessou a pista correndo.

Por Luiza Garonce, TV Globo — Foto: TV Globo/Reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui