Não vai ter prova: pandemia muda avaliação de alunos da rede pública do DF

As aulas a distância começam a contar presença a partir do dia 29 para 456 mil estudantes. Elas serão transmitidas pela TV e pela Internet

Fonte: Metrópoles, Manoela Alcântara

As aulas a distância para os alunos da rede pública do DF começam em 10 dias com uma novidade no modelo de avaliação: os estudantes não serão submetidos a provas, aquelas tradicionais aplicadas pelos professores em sala.

Com a nova plataforma de ensino pela televisão e computador, os 456.109 matriculados terão de mostrar o conhecimento adquirido a partir de tarefas. Elas devem ser apresentadas no período determinado pelos docentes.

O programa Escola em Casa DF, elaborado na gestão do ex-secretário João Pedro Ferraz, exonerado nessa quinta-feira (18/06), deve manter as características idealizadas no comando de Carolina Louzada Petrarca, que assumiu a pasta. Pelas diretrizes, os alunos terão três opções de ensino para que o acesso possa ser universal.

Entre elas, as teleaulas, a plataforma digital e, para quem não tiver acesso a meios digitais, as tarefas impressas entregues pelo colégio. As avaliações serão feitas em casa, com material disponibilizado pelo centro educacional ou entregue na residência, se a opção for por material físico. Nesse último caso, a família recebe o dever e, depois, devolve ao docente.

Na plataforma digital, também há opções de exercícios. Todos devem cumprir as horas-aula exigidas pelo Ministério da Educação para critério de aprovação. “As avaliações de rendimento ocorrerão por meio da entrega e análise das atividades propostas pelos professores. Os estudantes que por acaso não foram contatados pelas suas escolas devem procurá-las para buscar meios de acesso às opções ofertadas”, lembra a Secretaria de Educação.

BSB TIMES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui