Prato Cheio: crédito liberado para mais de 25 mil beneficiários

Benefício garante alimentação às famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional

AGÊNCIA BRASÍLIA * I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

Domingas Batista, de 36 anos, que mora com seus sete filhos no Vale do Amanhecer, é uma dessas beneficiaria que passou a fazer suas compras no mercado na esquina de sua casa. Ela trabalhava em um restaurante, como saladeira, mas ficou desempregada no início de 2018, quando descobriu que estava grávida da sua filha caçula de 1 ano e 4 meses. Mas só no ano passado conseguiu o benefício da cesta alimentação, após ser atendida no Centro se Referência de Assistência Social (CRAS) de Planaltina.

“Eu recebia a cesta básica, mas, praticamente, todo mês vinham os mesmos produtos. Agora, com o dinheiro no cartão, melhorou muito, porque vou ali no mercadinho, quase na porta de casa, e compro os itens que vinham na cesta e ainda dá para pegar outras coisinhas para completar a alimentação dos meus cinco menores”. Domingas afirmou ainda que o benefício passou a dar “mais qualidade de vida para o povo de baixa renda”, conta.

O benefício do Cartão Prato Cheio já foi entregue para 28.280 famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional no DF. Mas a recarga prevista para ser realizada nesta quinta-feira, dia 30, será para 25.188 beneficiários, já que as outras 3.092 pessoas retiraram o cartão nas agências do Banco de Brasília (BRB) após o dia 2 de julho, tendo o crédito do mês vigente já pago.

Benefício
O programa Prato Cheio é um auxílio que permite a transferência de crédito para aquisição de itens da cesta de alimentos e de pão e leite, como forma de garantir alimentação às famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional no DF. O valor do benefício é de R$ 250, com uso restrito em estabelecimentos alimentícios. O cartão do Prato Cheio não está habilitado para a função saque.

O auxílio é destinado às famílias que já solicitaram a cesta de alimentos em alguma unidade do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) ou do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) ou pelo teleatendimento realizado neste período da pandemia do novo coronavírus. Essas famílias tiveram já tiveram o requerimento registrado no Sistema Integrado de Desenvolvimento Social (Sids) da Sedes, conforme os critérios e perfil de acesso do programa.

Tiveram direito ao benefício famílias residentes no DF, com renda igual ou inferior a meio salário mínimo (R$ 522,50) per capita, e que se declarem em situação de insegurança alimentar. O cartão poderá ser concedido cumulativamente com outros benefícios socioassistenciais, como o Bolsa Família e o DF Sem Miséria, desde que atenda os critérios de elegibilidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui