Fraude e conspiração: as acusações que levaram à prisão de Steve Bannon, ex-estrategista de Trump

Bannon foi preso sob acusação de fraude | Foto: Evan Vucci.

A apenas 75 dias da eleição presidencial nos Estados Unidos, o ex-estrategista do presidente Donald Trump na campanha de 2016 – Steve Bannon foi preso na manhã da quinta-feira (20/08), nos Estados Unidos

De acordo com a denúncia oferecida pela procuradoria de Nova York, Bannon recebeu mais de US$ 1 milhão do fundo por meio de uma organização sem fins lucrativos chamada “Non-Drofit-1”.

Pelo menos 500 mil doadores contribuíram para arrecadar os US$ 25 milhões, que seriam suficientes, de acordo com os organizadores da iniciativa, para construir 160 quilômetros de muro na fronteira dos Estados Unidos com o México. Mas em vez de destinar os recursos às obras na fronteira, Bannon e seus aliados teriam se apossado de ao menos parte desses valores.

Espécie de guru global da extrema-direita populista, oficialmente, Bannon não é conselheiro de Trump desde 2017. Em 2018, ele declarou apoio ao então candidato à presidência Jair Bolsonaro, a quem descreveu como “líder”, “brilhante”, “sofisticado” e “muito parecido” com Trump.

Além de fraude eletrônica, Bannon foi também indiciado por conspiração para lavagem de dinheiro. Cada um dos crimes pode levar à pena máxima de 20 anos de prisão.

Helio Rosa com informaçõe da BBC Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui