Kim Jong-un estaria em coma; irmã Kim Yo Jong agora tem mais poderes

A irmã do líder norte-coreano Kim Jong Un, Kim Yo Jong (L), entrega uma carta autografada de Kim Jong Un ao presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in

Especulações sobre o estado de saúde do ditador da Coreia do Norte voltaram à tona nesta segunda-feira (24)

Novas especulações sobre o estado de saúde do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, voltaram ao noticiário de redes internacionais nesta segunda-feira (24). Veículos como Times Now News, Mirror, Tmz e Daily Mail reportaram a informação de que ele estaria em coma.

Mirror citou o que Chang Song-min, um ex-assessor do falecido presidente da Coréia do Sul, Kim Dae-jung, teria dito à mídia sul-coreana: “Eu avalio que ele está em coma, mas sua vida não acabou. Uma estrutura de sucessão completa não foi formada, então Kim Yo Jong está sendo trazido à tona, já que o vácuo não pode ser mantido por um período prolongado”.

A informação vai de encontro ao que foi divulgado na última semana. The Guardian e CNN noticiaram que Kim Jong-un deu à sua irmã, Kim Yo Jong, autoridade parcial para supervisionar “assuntos gerais de estado” a fim de aliviar a carga de trabalho .

De acordo com a CNN, o Serviço Nacional de Inteligência (NIS) da Coreia do Sul informou aos legisladores do país que a decisão de Kim Jong-un de transferir mais poder para sua irmã, que por anos tem sido um dos assessores e confidentes e mais importantes, reforçou o argumento de que ela é a “segunda no comando de fato”.

As especulações sobre a saúde de Kim foram galopantes no início deste ano depois que o líder norte-coreano, que historicamente manteve uma agenda exaustiva repleta de aparições públicas, desapareceu algumas vezes dos olhos do público. Kim mantém um estilo de vida pouco saudável – ele está acima do peso, fuma e bebe.

Outros funcionários de alto escalão do governo da Coreia do Norte  assumiram responsabilidades maiores como parte desse esforço para aliviar as tensões sobre Kim Jong-un, que está no poder há quase nove anos.

O regime de Kim enfrenta vários problemas difíceis. Além de inundações e da pandemia do coronavírus, acredita-se que a economia da Coreia do Norte também esteja em mau estado porque as negociações com os Estados Unidos para o alívio de sanções comerciais para partes do programa de armas nucleares não produziram nenhum resultado tangível.

A agência de notícias estatal norte-coreana KCNA admitiu isso na última quinta-feira, quando informou que Kim iria convocar uma reunião sênior com os principais líderes do país. O artigo atribuía a situação econômica estagnada a “graves situações internas e externas e diversos desafios inesperados”.

Helio Rosa com informações de O Tempo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui