A verdadeira história por trás do “… encher tua boca de porrad*”

Bem antes das "fake news" a imprensa manipula pontos de vista para "criar notícia"

O nível de cinismo da imprensa brasileira ultrapassa todo os limites do aceitável e mostra como a velha tática da “manipulação do ponto de vista” se sobrepõe à “fake News”.

No episódio, narrado e repetido à exaustão pela imprensa tradicional brasileira, angariando “apoio” de entidades e “notas de repúdio” diversas, o presidente Bolsonaro é acusado de “agredir verbalmente” jornalista da rede Globo após ser indagado sobre depósitos feitos na conta de sua esposa.

“Vamos visitar a sua filha na cadeia”, diz alguém para o presidente.

Porém, circula pela internet, um vídeo do momento exato onde a reação de Bolsonaro ocorre, e ela mostra uma outra história.

Nesse vídeo é possível claramente ouvir alguém dizendo: “vamos visitar a sua filha na cadeia”.

Não é possível identificar quem falou, se foi um jornalista, um opositor, ou outra pessoa qualquer, de certo vem da mesma direção de onde a impressa estava.

Talvez, mas, somente talvez, tenha havido um equívoco, e o jornalista tenha pego para si palavras que foram proferidas contra outrem.

De qualquer forma, para uma imprensa que se avoca o direito de dizer o que é ou não verdade, o que é ou não “fake news”, lhe cabia, inexoravelmente, a verificação e o cuidado. E TODA a imprensa tradicional brasileira repetiu o fato como sendo um ataque à imprensa.

Do ocorrido, diante dos fatos restam algumas questões:

– Tem a imprensa a capacidade, legitimidade, e isenção, para de dizer o que é ou não verdade?

– Será, somente será, que a imprensa tradicional não está a buscar qualquer coisa, a qualquer custo para achacar Bolsonaro?

– Se falassem isso em relação à sua filha você também não gostaria de “encher a boca de quem falou de porrad*”?

E, pode apostar, haverá gente na imprensa que se tratar de uma farsa, sem apontar prova alguma.

Veja o vídeo e tire suas conclusões:

Rogério Cirino para o BSB TIMES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui