Legalidade da greve dos correios será julgada pelo TST

CORREIOS-GREVE-foto-Correio Independente

A Audiência de conciliação ocorrida no Tribunal Superior do Trabalho na última sexta-feira (11/9) entre os Correios e representantes dos empregados, em greve desde 17 de agosto, terminou sem acordo.

Com o resultado caberá à Seção Especializada em Dissídios Coletivos (SDC) julgar, em 21/9, o processo de dissídio coletivo em que a ECT pede a declaração da abusividade da greve.

Relatora do processo, ministra Kátia Arruda, exortou os participantes a apresentarem propostas para poder avançar na solução do conflito, sem sucesso. Lembrou a ministra, que, no último dissídio coletivo, de 2019 o TST julgou o estabelecimento de vigência de dois anos para a sentença normativa.

Porém, ademais isso, a direção atual da ECT entendeu que essa cláusula feria a legislação e foi ao Supremo Tribunal Federal, onde conseguiu a suspensão da cláusula de vigência e de outras. Em agosto, o STF suspendeu de forma definitiva a cláusula que estendia o acordo até 2021. Com o fim da validade, os trabalhadores dos Correios deflagraram a nova greve.  

Agora a coisa toda irá à julgamento no TST.

 

Hélio Rosa para o BSB TIMES.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui