Decisão do STF pode libertar 31 mil presos

Gilmar Mendez, o "garantista", foi o relator da decisão que pode colocar 31 mil presos nas ruas

O pedido foi da Defensoria Pública da União – DPU

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), por unanimidade, julgou a favor de um habeas corpus coletivo apresentado pela Defensoria Pública da União (DPU) pedindo prisão domiciliar a todos os presos provisórios que têm sob sua única responsabilidade a tutela de pessoas com deficiência e crianças menores de 12 anos de idade.

O relator do caso foi Gilmar Mendes, famoso pelo “garantismo” que defende amplo direito de liberdade à criminosos teve seu voto seguido pelos colegas Edson Fachin, Cármen Lucia e Ricardo Lewandowski.

Leia também:

O fim do Brasil: o que significa o STF mandar soltar um traficante

Todos os Tribunais de Justiça e Tribunais Regionais Federais serão notificados e devem apresentar, em até 45 dias, a listagem de concessão de habeas corpus que se adequam à decisão dos ministros. A concessão da liberdade não é automática e deve ser julgada caso a caso.

Agora fica a dica: quer entrar para o mundo do crime e não ser preso – tenha um filho.

Hélio Rosa para o BSB TIMES.

 

Participe do grupo do BSB Times no Whatsapp e receba notícias que você não vai ler na imprensa tradicional.

Entre para nosso grupo no Facebook e veja o que o pessoal esta comentando

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui