Podemos estar vivendo em uma simulação.

Há uma  possibilidade de  50% de chance dos seres humanos, estarem envolvidos em uma simulação. 

A revista Scientic American, baseado nos estudos cientistas da Universidade de Columbia, que levantaram dados teóricos sobre uma das principais dúvidas sobre vidas paralelas.

O filosofo Nick Bostrom realizou um trabalho acadêmico onde concluiu que há 50.22222% de chance dos seres humanos serem reais e 49.777778% de na verdade, tudo não passar de uma simulação.

O projeto foi revisado por David Kipping, um astrônomo da Universidade de Columbia, que destacou uma citação do autor onde ele cita duas afirmações e diz que, no mínimo, uma delas é verdadeira; é muito provável que a espécie humana entre em extinção antes mesmo do início de uma futura era “pós-humana”; e, em uma possível civilização pós-humana, as chances de haver uma repetição de simulações de sua história evolutiva é muito pequena.

A conspiração do filósofo é baseada, quase na totalidade, no poder da computação. Ele defende que, se os seres humanos não criarem uma simulação própria e com seres conscientes, a possibilidade de tudo o que vivemos ser de fato uma simulação tem suas chances aumentadas.

Rogério Cirino de Sá Ribeiro, goiano, 51 anos, casado, três filhos. Bacharel em Administração de Empresas pela UNIPLAC. Licenciado em História pela UPIS e MBA em Gestão de Projetos pela ESAD. Empresário do audiovisual desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui