Gregos teriam sido os primeiros a fazer rampas de acesso para deficientes

Uma arqueóloga estadunidense observava os grandes assentamentos gregos quando percebeu, a partir das estruturas escavadas, acessos para deficientes. De acordo com os estudos de Debby Sneed, da Universidade Estadual da Califórnia, os gregos teriam sido os primeiros a construir rampas de acesso para pessoas com deficiência, há mais de 2 mil anos.
A cientista encontrou 11 pequenas estruturas de pedra, posicionadas nas entradas de um santuário de cura, que teria sido feito em meados do século 6 a.C. Provavelmente, o local era bastante frequentado por deficientes pedindo cura.
Imagem: Representação de Hefesto com muletas e possíveis oferendas pedindo cura para pernas e pés / Crédito: Museu de arte britânico/ Divulgação/ Hannah Shields
Algumas oferendas encontradas em outros assentamentos, como, por exemplo, peças em formato de pés e pernas, reforçam essa teoria. Debby também afirma que achados da Grécia Antiga tem muitos sinais de que a população era deficiente já que 60% dos fósseis encontrados em Anfípolis, uma cidade antiga, tinham osteoartrite.
É possível que outros edifícios e templos gregos também tivessem rampas apesar de que, no passado, alguns arqueólogos acreditam que se tratavam de estruturas que serviam como um tipo de altar de sacrifício.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui