Deputada acusa presidente da Câmara Legislativa do Amazonas de tê-la agredito

Deputada Joana Darc (PL) esbarra no Deputado Roberto Cidade (PV)

A acusação ocorreu no final da sessão onde a mesma deputada acusou colegas de vender votos para eleição da mesa da Casa. Após acusação de compra de votos, MP-AM vai investigar 16 Deputados estaduais do Amazonas

A líder do Governo na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Deputada Joana Darc (PL), denunciou suposto esquema de compra de votos para eleger o novo presidente do Parlamento, deputado Roberto Cidade (PV). Após a denúncia o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) vai investigar os 16 deputados que votaram nele.

Durante toda a votação, a deputada não poupou acusações e críticas aos 16 parlamentares, chegando a citar nominalmente cada um, chamando-os de “bandidos”, “golpistas”, “traidores”  e “traíras”, afirmando que estavam acostumados a planejar as coisas “às escondidas”.

Deputada Joana Darc, líder do governo na Assembleia Legislativa do Amazonas

O MP-AM vai pedir esclarecimentos dos 16 deputados a partir da instauração de uma Notícia Fato baseada nas acusações feitas pela deputada em tribuna na sessão da última quinta-feira (3).

Joana acusou o deputado Roberto Cidade de comprar os votos dos demais deputados para mudar a Constituição do Estado e o eleger novo presidente da Aleam.

Leia também:

Crédito emergencial: micro e pequenas empresas e MEI podem pedir até R$ 50mil na máquina de cartão

“O deputado Roberto Cidade foi atrás de comprar votos dos colegas deputados estaduais. E eu digo o valor, porque ele não chegou a falar comigo, mas aqui todo mundo fica sabendo das coisas. O voto era R$ 200 mil”, disse Joana.

De acordo com o Ministério Público “o procedimento padrão inicial é a instauração de uma Notícia de Fato, que é seguida de envio de expedientes (ofícios) aos denunciados e órgãos e entidades que possam prestar informações iniciais. Daí, as investigações podem seguir de diversas maneiras de acordo com a necessidade de quem estiver apurando”, diz a resposta da assessoria do MP-AM.

Ação Judicial

Antes disso, a líder do governo Joana Darc e demais deputados que se sentiram prejudicados pela derrota na eleição da Aleam, intercederam junto à Justiça do Amazonas que concedeu liminar suspendendo o resultado da eleição da Mesa Diretora do Parlamento. A decisão é do desembargador Wellington José de Araújo, o mesmo que suspendeu a CPI da Saúde e o processo de impeachment do governador Wilson Lima (PSC).

Em ação Joana Darc argui que não foi convocada para participar da reunião da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) que aprovou a PEC que permitiu adiantar a eleição da Mesa Diretora. Para Joana, a votação é “totalmente ilegal” e contraria o Regimento Interno da Aleam.

Suposta agressão

A sessão da quinta-feira (3) terminou ainda em confusão, com a Deputada acusando Roberto Cidade de agressão. Porém os vídeos gravados no momento parecem mostrar que a deputada esbarrou no colega, que inclusive teria levantado as mãos no momento.

Com Informações do portal Realidade do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui