A Mona Lisa sem roupa? Pelada? Nua?

O enigma do rascunho Monna Vonna, cujo mistério envolve a participção de Leonardo Da Vinci.

Em 2017, o esboço feito em carvão apelidado de “Gioconda Nua” intrigou os amantes de arte. Isso porque o registro apresenta uma imagem singular: internautas associaram seria a Mona Lisa sem roupas. Desde, Monna Vonna passou por análises de estudiosos e especialistas de história da arte, que acreditam que pode ter sido desenhado pelo artista renascentista Leonardo Da Vinci.

O ESBOÇO

O esboço de carvão que retrata uma mulher nua ficou famoso por suas incríveis semelhanças com a tela de Mona Lisa. Segundo o engenheiro italiano Maurizio Seracini, “exames científicos com infravermelho mostraram que nesta pintura existem buracos que correspondem exatamente aos da obra do Museu Condé, na França, que, segundo fontes, seriam agora atribuídos ao próprio Leonardo e seu ateliê”, explicou ele.

Leia também:

Crédito na máquina de cartão: micro e pequenos empresários podem pedir até R$50mil a juros de 0,48% com 6 meses de carência

O cientista concluiu sua hipótese através testes que identificaram os pontos em comum entre as duas imagens, onde teria sido utilizada uma técnica de análise de traços chamada “spolvero”, que se parecem com impressionante semelhança entre um desenho e outro.

Assim, os indícios supõem que a Monna Vanna pode ter sido fruto da escola de Da Vinci, sendo, portanto, outra versão da Mona Lisa, desta vez representada nua, com os seios à mostra.

Uma montagem mostra Monna Vanna e Mona Lisa, lado a lado / Crédito: Divulgação/Twitter

 

Os cientistas do Museu do Louvre, em Paris, onde se encontra o quadro icônico, também abriram uma investigação sobre o esboço de Monna Vanna, que desde 1862 faz parte de uma coleção de arte renascentista do Museu Condé, localizado também em Paris.

Os resultados do estudo indicaram que ao menos uma parte do desenho de carvão tenha sido produzido pelas próprias mãos de Leonardo. Os especialistas também dataram que ela teria sido pintada em algum momento após o ano de 1503, mas não conseguiram saber se foi feita antes ou depois de Mona Lisa.

“O desenho possui uma qualidade, na forma como o rosto e as mãos estão colocadas, que é realmente extraordinária”, afirmou o curador Mathieu Deldicque em entrevista.

“Observamos algo que foi trabalhado paralelamente à Mona Lisa no final da vida de Leonardo“, disse ele. “É quase certo se tratar de um trabalho preparatório para uma pintura a óleo”, acrescentou, lembrando que alguns traços dos dois desenhos, como as mãos e o corpo, são idênticos um ao outro.

Leonardo da Vinci / Crédito: Wikimedia Commons

Além disso, foi constatado que as proporções do desenho de Monna Vanna chegam a ser quase iguais ao de Mona Lisa, e pequenos furos encontrados ao redor da figura da mulher nua podem ter sido usados para traçar o contorno da imagem em outra tela.

O especialista do Louvre Bruno Mottin, por sua vez, afirma que não podemos atribuir toda a obra de carvão ao gênio Da Vinci: “O sombreamento no alto do desenho, próximo à cabeça, foi feito por uma pessoa destra. Leonardo desenhava com a mão esquerda”, aponta ele. “É um desenho muito difícil de se trabalhar por ser bastante frágil.”

Sobre a Mona Lisa

Mona Lisa, La Gioconda ou até mesmo Mona Lisa del Giocondo, chame como quiser, mas nada muda o fato de que a obra é a mais notável e conhecida do gênio renascentista Leonardo da Vinci. O quadro é, provavelmente, um dos mais famosos da história da arte e um dos mais valiosos de todo o mundo.

A obra que mostra uma mulher de expressão introspectiva e tímida, representa, de certa forma, o padrão de beleza das mulheres na época em que foi pintada, no ano de 1503. Mona Lisa é, de fato, uma obra única, não só pelo trabalho artístico de Da Vinci, mas também por toda a controvérsia, questionamento e importância que permeiam o quadro.

Muitos acreditam que Mona Lisa represente muito mais que um simples olhar possa compreender. Ela teria uma mensagem oculta em suas camadas. A linha do horizonte, por exemplo, está em um nível visivelmente mais baixo do lado esquerdo do que o direito, fazendo com a personagem do quadro fique maior quando observada da esquerda para a direita.

Já outros historiadores acreditam que os conceitos de masculino e feminino também estejam ligados a pintura, onde o lado esquerdo seria o feminino e o direito o masculino. Realmente, ainda hoje, La Gioconda gera muitas dúvidas, o que a faz ser uma das maiores atrações que estão em exposição no Museu do Louvre, em Paris.

FONTE: AVENTURAS NA HISTORIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui