Planaltina está em polvorosa com inúmeras reuniões populares e de bastidores, onde políticos se destacam nas bases

Jornalista Hélio Rosa, editor-chefe do BSB TIMES, é especialista em Administração Pública e Gerência de Cidades | Foto: Redes Sociais

Pré-eleições 2022 na cidade já começou e partidos terão dificuldades em fazer nominatas  

Alguns pré-candidatos ainda não escolheram partido, principalmente por causa do fim das coligações. Na verdade, partidos vão ter que se articular muito para formarem nominatas com 30% de mulheres e faixas de cortes medianas, entre 6 à 7 mil para distrital e até 20 mil para federal, pois o que tiver fora disso correrá um grande risco de não formar sua chapa de 48 candidatos distritais e 16 federais.

Mesmo Planaltina-DF votando em média 70% em candidatos de fora, lideranças políticas têm buscado defender o voto bairrista, pois entendem que a cidade possui um excelente colégio eleitoral de 106 mil eleitores. Chegam a dizer que os planaltinenses juntos têm condições de elegerem três deputados distritais e um deputado federal.

Leia também:

Micro empreendedor: é possível pedir empréstimo até R$ 50mil com maquininha de cartão

No setor habitacional Grande Mestre D’Armas, lideranças como o prefeito Tales Alves tem constantemente buscado apoios para as próximas eleições e, desta vez, quer ampliar seus quase 1.000 mil votos que teve em 2.018. Já no Vale do Amanhecer, o líder comunitário Ronaldo Araújo, que teve quase 2.000 mil votos, está ampliando sua base. No Arapoanga, tem o professor Jordenes que deve tentar sua terceira candidatura, pois tem uma excelente performance de um pouco mais de 7.000 mil votos.

No Jardim Roriz tem o iniciante Uesllei Almeida que vai tentar mais uma vez ampliar seus 300 votos. Assim como na Vila Buritis I, tem o líder social Ilson Valter que também deve ampliar seus 300 votos e o empreendedor de segurança privada Silvério, que de incipiente não tem nada, suas experiências se destacam em coordenações de inúmeras campanhas vencedoras. Nos Buritis 2. 3 e 4 tem o líder comunitário Rogerinho dos Buritis que ultrapassou seus 1.000 votos naquela região e deve tentar novamente.

Leia também:

Eleição da mesa da CLDF: o velho fisiologismo do PT

As mulheres como as enfermeiras Mônica D’Aidê e Claudinha da Saúde têm se destacado, uma na área distrital e a outra na federal somando juntas mais de 3.000 votos. E no grande território urbano e rural, o deputado distrital Cláudio Abrantes (14.238 votos) tem trabalhado muito para o progresso da cidade e o Pepa (10.048 votos) está em seu encalço. Não podemos esquecer do professor social Rodrigão que teve 4.121 votos. Alguns nomes não sabemos se realmente virão se candidatar à distrital ou à federal, vai depender muito do cenário político, como é o caso do ex-administrador Gilson Amorim, do ex-comandante do 14º BPM, Ten. Coronel Genilson Duarte, e eu, o jornalista Helio Rosa.

Helio Rosa para o BSB TIMES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui