Prefeito do Rio, Marcelo Crivella, é preso em operação da polícia e MP

Rio de Janeiro (RJ), 06/11/2020 - Eleições 2020 / Marcelo Crivella - O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, em campanha pela reeleição, visita o hospital Paulino Werneck, na Cacuia, Ilha do Governador. Ele anunciou que a unidade vai virar maternidade. Credito: Gabriel de Paiva/Ag. O Globo

Ele foi levado à Delegacia Fazendária pela Polícia Civil

Por Hélio Rosa*

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, foi preso na manhã de hoje (22) e encaminhado à Delegacia Fazendária do Rio. A prisão ocorre no âmbito da Operação Hades que investiga uma suposta central de propinas na prefeitura da capital fluminense.

Além de Crivella, também foram presos o empresário Rafael Alves (suspeito de ser o chefe do esquema de propinas e irmão de Marcelo Alves, ex-presidente da RioTur), Mauro Macedo (ex -tesoureiro da campanha de Crivella) e o ex-vereador Fernando Moraes (também ex-delegado).

Ao chegar à Cidade da Polícia por volta das 6h30 ele deu declarações à imprensa e se disse vítima de perseguição política, afirmou que, em seu governo, combateu a corrupção e afirmou querer justiça.

Nas investigações, o empresário Rafael Alves teria recebido cheques de empresários para intermediar o fechamento de contratos com a RioTur, o que o faria o operador do esquema de propinas. Rafael é irmão de Marcelo Alves, ex-presidente da RioTur.

As investigações ocorreram após delação premiada do doleiro Sérgio Mizrahy, preso pela Operação Câmbio, Desligo.  No depoimento ao MP Mizrahy chamou o escritório da prefeitura do Rio de “QG da Propina”.

O MPRJ em nota confirmou que efetua prisões e que demais informações não serão fornecidas por conta do sigilo decretado pela justiça: “Em razão do sigilo decretado pela Justiça, não podem ser fornecidas outras informações”, diz a nota.

* Com informações da Agência Brasil e CNN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui