Prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela morre por complicações da covid-19

Político estava internado desde 22 de outubro e morreu na madrugada desta quarta-feira

O prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), que estava licenciado do cargo, morreu nesta quarta-feira (13), aos 71 anos. O político estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, devido a uma infecção pulmonar em decorrência da covid-19.

“É com profundo pesar que comunicamos o falecimento do prefeito de Goiânia, Maguito Vilela, ocorrido nesta madrugada de 13 de janeiro. Internado desde o dia 22 de outubro para tratar da covid-19, Maguito lutava contra uma infecção pulmonar diagnosticada na semana passada”, informou uma postagem na rede social do emedebista.

Leia também:

Morre moradora de Planaltina-GO em acidente na BR 020

Tantos vices para 2.022, o DF e sua crise de identidade política

Criador do Telegram diz que pessoas deveriam deletar o WhatsApp

Ex-governador de Goiás, Maguito teve seu último compromisso de campanha em 18 de outubro de 2020, quando estava com suspeitas de infecção pelo coronavírus. O diagnóstico saiu dois dias depois e, desde então, o quadro de saúde dele se agravou.

Maguito, que já havia perdido duas irmãs para a doença em agosto, foi internado no Hospital Albert Einstein no dia 27 de outubro. A primeira entubação foi no dia 30 daquele mês.

Após o então candidato apresentar melhora, os médicos retiraram a sedação em 8 de novembro, uma semana antes da eleição. No dia da votação em primeiro turno, porém, ele apresentou piora no estado de saúde e precisou voltar para a entubação.

O afastamento dos atos de campanha não impactou negativamente o desempenho do candidato. Ao contrário. Maguito cresceu nas pesquisas de intenção de votos.

No segundo turno, em 15 de novembro, Maguito Vilela foi eleito prefeito de Goiânia com 52,6% dos votos, derrotando o senador Vanderlan Cardoso (PSD). A posse, em 1º de janeiro de 2021, ocorreu de maneira virtual devido à internação do político.

Fonte: ZeroHora

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui