Os direitos dos Animais na Shariah Islâmica

Nossas atitudes em relação à interação com a natureza em geral e outras criaturas em particular dependem de nossa visão da vida. Todos vivemos de acordo com um conjunto de crenças e valores; nesse sentido, todos seguem uma filosofia ou religião particular.

No entanto, a maioria das pessoas tende a pensar que a religião dá orientação apenas em “questões espirituais”. Em contraste, a cosmovisão islâmica, conforme argumentada por aqueles muçulmanos que derivam uma visão racionalista do Alcorão, é integrada e global; é baseada na razão e na ação, infundida com uma consciência de Deus Único (Allah).

Nesse sentido, o Islã fornece um código de conduta abrangente para nossa vida terrena, estendendo as considerações morais em relação à natureza como parte de uma ética verdadeiramente universal. A cosmovisão e os preceitos islâmicos, com base neste ponto de vista, não contêm absolutamente nenhuma distinção entre bem-estar “espiritual” e “físico”, ou entre “religião” e “secularismo”.3 Na verdade, o Islã, nessa perspectiva corânica, representa uma visão de mundo na qual os sistemas sociais e ecológicos estão envolvidos como uma unidade, onde o bem-estar material dos seres humanos é considerado interdependente e entrelaçado com o bem-estar do resto da natureza, incluindo os diferentes tipos de vida na Terra.

Nesta era de destruição desenfreada de ecossistemas, experimentação animal, criação industrial e outras formas de crueldade e desordem, aqueles com um forte senso de justiça universal gostariam de intervir e defender a natureza e os animais, que são uma parte essencial da natureza – para ser defensores dos animais. Mas a defesa dos animais existe no Islã? Existe realmente uma base filosófica no Islã para a defesa dos animais? Em caso afirmativo, que valor o Islã atribui aos animais?

A condição para defesa animal

A justificativa filosófica e a base para a defesa animal islâmica consiste nos seguintes princípios, que reconhecem e defendem os valores ecológicos inerentes, denominados ecognição, a partir do reconhecimento ecológico:

Ecognição 1: Todos os animais não humanos são uma confiança de Deus.

Ecognição 2: Direitos ecológicos existem e devem ser mantidos.

Ecognição 3: Todos os animais não-humanos vivem em comunidades.

Ecognição 4: Todos os animais não humanos possuem personalidade.

FONTE: HISTORIA ISLAMICA

Rogério Cirino de Sá Ribeiro, goiano, 51 anos, casado, três filhos. Bacharel em Administração de Empresas pela UNIPLAC. Licenciado em História pela UPIS e MBA em Gestão de Projetos pela ESAD. Empresário do audiovisual desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui