Justiça devolve sonhos de vida pública de Fraga e Ericka

Fraga foi absolvido de cobrança de propina e Ericka absolvida de rachadinha

Por Helio Rosa

O ex-deputado federal Alberto Fraga (DEM) foi inocentado no ano passado pela decisão de segunda instância e foi unânime. Em primeiro grau, Fraga havia sido condenado a 4 anos, 2 meses e 20 dias de prisão, em regime inicial semiaberto, além de 14 dias-multa.

Já a deputada federal Ericka Kokay (PT) foi inocentada na semana passada pela Justiça do DF. Por causa do foro privilegiado da deputada, o caso tramitava no Supremo Tribunal Federal (STF) mas, em maio de 2018, uma decisão do ministro Marco Aurélio Mello remeteu a ação à Justiça do DF.

Se Fraga tentar disputar ao cargo de Deputado Federal na eleição de 2.022, o seu partido DEM poderá ser o único em condições de eleger dois deputados, pois ele foi o candidato mais votado em 2.014 e obteve 155.056 votos, isso é claro se permanecer a lei com o fim das coligações.

A deputada federal Ericka Kokay possui uma grande vantagem, além de estar no mandato é a grande líder que o PT-DF ainda tem na esfera federal. Ela consegue tranquilamente repetir o mandato, Ericka foi a segunda mais votada na eleição passada obteve 89.986 votos, perdendo somente para Flávia Arruda que teve mais de 120 mil votos.

A próxima eleição será centrada na Câmara Federal, contudo, se na reforma eleitoral deste ano mantiver o fim das coligações, muitos partidos não conseguirão formar nominata para concorrer e outros não alcançarão quociente eleitoral e nem tão pouco participarem da distribuição da sobra de vagas, já que no DF são 08 deputados federais e existem 33 partidos políticos registrados no TSE, que ainda avalia a criação de mais 77.

A vantagem ficará com os grandes partidos e, neste caso, o DEM de Fraga e o PT de Ericka possuem muitos deputados federais em vários estados da federação. E tem mais: Fraga é amigo de Bolsonaro e Ericka amiga de Lula!

3 COMENTÁRIOS

  1. Perguntar não ofende, os senhores por algum motivo censurou meu comentário, falando que os Generais não devem fugir da guerra contra a COVID?

    • Caro leitor, em hipótese alguma censuramos comentários de ordem política. Cremos na mais plena liberdade de expressão. Apenas nos resguardamos e retemos comentários que sejam ofensivos à honra ou dignidade alheia, sementem ódio ou discriminação. Seu comentário, no caso apenas ainda não havia passado pela moderação.

  2. Meu comentário, se referiu a publicação aludindo sobre a participação de militares no governo, o General PAZUELLO, bem que poderia se recolher nos Quartéis, no entanto o governo, enfrenta uma guerra contra um inimigo invisível o convocou para uma missão crucial difícil de ser cumpridas, o General não exitou, deixou o gabinete com ar condicionado e foi a luta, ajudando o pais contra o COVID e salvando vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui