Coreia do Norte tentou rackear Pfizer, diz inteligência sul-coreana

This picture taken on July 18, 2020 and released from North Korea's official Korean Central News Agency (KCNA) on July 19, 2020 shows North Korean leader Kim Jong Un attending the Military Commission meeting of the Workers' Party of Korea (WPK) in Pyongyang. (Photo by - / KCNA VIA KNS / AFP) / South Korea OUT / ---EDITORS NOTE--- RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY CREDIT "AFP PHOTO/KCNA VIA KNS" - NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS - DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS / THIS PICTURE WAS MADE AVAILABLE BY A THIRD PARTY. AFP CAN NOT INDEPENDENTLY VERIFY THE AUTHENTICITY, LOCATION, DATE AND CONTENT OF THIS IMAGE --- /

Norte-coreanos buscaram informações sobre a vacina e tratamento contra o coronavírus

Hackers norte-coreanos tentaram invadir os sistemas da gigante farmacêutica Pfizer para encontrar informações sobre a vacina e tratamentos contra o coronavírus, informaram nesta terça-feira (16) meios de comunicação, citando a inteligência sul-coreana.

O Serviço Nacional de Inteligência (NIS) “nos informou que a Coreia do Norte tentou obter tecnologias incluindo a vacina e tratamentos contra a covid por meio de um ataque cibernético para hackear a Pfizer”, declarou a repórteres o deputado Ha Tae-keung.

Pyongyang foi o primeiro país do mundo a fechar suas fronteiras no final de janeiro de 2020 na tentativa de se proteger da pandemia que surgiu em dezembro de 2019 na vizinha China e que desde então se espalhou por todo o planeta, matando mais de 2 milhões de pessoas.

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, garantiu que seu país não teve nenhum caso de contaminação por coronavírus, mas especialistas acreditam que a alegação é improvável, visto que a vizinha China é o principal parceiro comercial e apoio de Pyongyang.

O fechamento das fronteiras aumentou a pressão sobre a economia norte-coreana, já sujeita a sanções internacionais devido ao programa nuclear e balístico desenvolvido pelo regime.

De acordo com especialistas ocidentais, a Coreia do Norte tem um exército de vários milhares de hackers altamente treinados que já atacaram empresas, instituições e centros de pesquisa, especialmente na Coreia do Sul.

Pyongyang também roubou mais de US$ 300 milhões em criptomoedas nos últimos meses por meio de ataques informáticos destinados a financiar seus programas nucleares e balísticos proibidos, de acordo com um relatório confidencial da ONU divulgado alguns dias atrás.

Embora afirme estar livre do vírus, a Coreia do Norte solicitou recentemente vacinas contra a covid-19, das quais deve receber quase dois milhões de doses, segundo a GAVI Alliance, membro do programa da ONU Covax, que coordena a distribuição de vacinas aos países pobres.

Esta é a primeira confirmação oficial de que Pyongyang pediu ajuda internacional, quando a infraestrutura sanitária da Coreia do Norte é considerada totalmente inadequada para lidar com uma epidemia em grande escala.

Fonte: AFP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui