A PM não sabe o que quer!

Essa é uma frase que já virou um mantra dentro da PMDF e expõe a atual situação de uma instituição sem rumo e com grandes dificuldades para se enxergar como uma verdadeira corporação.

Relato de um Policial Anônimo

Mas será que realmente não sabemos o que queremos? Eles se perguntam!

Ao longo das últimas décadas observamos várias instituições que compõem a Segurança Pública no Brasil e no DF desenvolverem seus planejamentos estratégicos e evoluírem suas políticas de gestão de pessoas e carreiras, ao passo que, expandiram sua influência ante as diversas esferas de poder e principalmente junto da sociedade.

Infelizmente a PMDF caminha na contramão dessa evolução, nas duas últimas décadas tudo que vimos por aqui foi uma fraticida disputa estabelecida no alto comando da instituição, sempre visando interesses de grupos específicos que buscam para si cargos, gratificações e poder. Enquanto isso, nossa polícia agoniza na UTI.

Analisando a evolução das coirmãs, integrantes da Secretaria de Segurança Pública do DF, percebemos o quanto estamos atrasados na implementação das nossas metas. A Portaria PMDF nº 1.145/2020, que alterou a Portaria nº 742/2011 e serviu para atualizar o planejamento estratégico que foi traçado para os anos de 2011-2022, ainda está muito longe de ser surtir algum efeito prático e prazo de vigência já se estingue no próximo ano. (http://www.pmdf.df.gov.br/images/Divulgacao/2016/planoestrategico_2ed.pdf ).

A negligência dos nossos comandantes com a gestão da corporação e o total desinteresse deles em pensar o futuro institucional resultaram na diminuição acentuada do nosso efetivo, grande perda de pessoal qualificado para outras instituições públicas, total descaso com a saúde física e mental da família policial, estagnação funcional e ausência de um programa eficiente de capacitação continuada.

Uma corporação à deriva, essa é a imagem que os integrantes da PMDF conseguem visualizar quando analisam a situação na Polícia Militar do DF atualmente. A única certeza que temos para os próximos 5 anos é que a Portaria que regula os uniformes será novamente modificada, apenas para gerar mais custos para o policial, como já ocorre a cada 3 anos nas últimas décadas.

As melhorias alcançadas por Bombeiros Militares, Policiais Civis, Policiais Penais, Agentes do DETRAN, dentre outras instituições do DF, foram fruto de um planejamento meticuloso e um grande empenho de seus gestores e representantes, eles souberam aproveitar bem as janelas de oportunidade que a política proporciona de tempos em tempos. A última grande chance que tivemos para ajustar a nossa estrutura organizacional ocorreu com aprovação da Lei 12.086 de 2009.

Na oportunidade, algumas alterações positivas foram implementadas pela referida lei, mas o texto aprovado para a PMDF revelou o quanto nossa gestão é amadora quando comparada a dos Bombeiros Militares. O desleixo dos representantes da PMDF na época da elaboração da Lei 12.086/09 teve como consequência o fato dos interstícios de promoção do CBMDF serem hoje muito menores que o da PMDF. Prova disso é que os policiais militares que ingressaram na PMDF em 1999 ainda permanecem como 3º SGT enquanto temos Bombeiros que em 2013 ainda nem eram militares e hoje possuem o Curso de Aperfeiçoamento de Praças, algo que uma minoria dos 3º Sargentos da PM possui, e ocupam a graduação de 2º SGT.

A nossa situação é ainda pior se compararmos com a dos colegas da PCDF, o plano de carreira deles permite que os agentes atinjam o topo, agente especial, com 13 anos de serviço. São vários os colegas policiais militares que cumprem com afinco a missão em prol da comunidade e se aposentam sem alcançar nem mesmo a graduação de 1º SGT com o CAEP na nossa suposta carreira.

Deixando de olhar para o passado e mirando no futuro, percebemos que temos neste momento uma daquelas raras janelas de oportunidade aberta. No Congresso Nacional está tramitando a MP 1.014/20  https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2266115 cujo relator é o Dep. Federal Luis Miranda – DEM/DF, um parlamentar que está bastante atuante na PMDF e goza de grande prestígio entre os seu integrantes. E a pergunta que surge novamente é: será que sabemos o que queremos?

A resposta é: SIM, nós sabemos o que queremos! Os Policiais Militares do DF querem ser tratados com equidade quando comparados com os demais colegas da SSP/DF. Precisamos de ter nossa carreira, assim como os demais servidores públicos possuem, e se para isso será necessário retirar o limitador de 1/4 das promoções, aumentar o número de vagas de ST, aplicar na PM os mesmos interstícios dos Bombeiros Militares do DF ou aprovar um novo plano de carreira nos moldes da PCDF, isso não importa.

O fato é que precisamos de uma carreira urgente. Não precisamos nesse momento de nenhuma mudança de regra do CHOAEM, isso só atende os anseios de um pequeno grupo que historicamente se valeu da meritocracia e agora pleiteia sorrateiramente uma forma de obter vantagens em detrimento dos demais colegas de farda. Incluir na MP 1.014 uma emenda atinente a PMDF, sendo apresentada por um representante dos bombeiros sobre algo que nunca foi consenso dentro da PMDF só prejudica a nossa luta por uma carreira. A regra atual do CHOAEM é sem dúvidas a mais justa, e a luta dos policiais militares é para que todas as praças possam ter a certeza que chegarão à graduação de ST com o salário e tempo de interstício compatível com o de um Agente Especial da PCDF.

Queremos condições de trabalho dignas, faz-se necessário ter as devidas reposições salariais e ser assistido por um plano de saúde que funcione. Resta claro que pedimos apenas o mesmo tratamento dispensado pelo GDF as nossas coirmãs.

Não dispensar um tratamento justo à PMDF com a desculpa de que nós não sabemos o que queremos é uma grande falácia. É inegável a falta de habilidade e força de vontade dos nossos gestores (gratificados) para apresentar os nossos pleitos, mas em nenhum momento isso é fruto do desconhecimento das nossas demandas.

Chegou a hora do Comando da PMDF assumir a responsabilidade e olhar para instituição que está definhando. Os interesses pessoais devem ser deixados de lado para que as forças sejam direcionadas para a defesa da nossa briosa. A corporação corre o risco de ser engolida e ainda temos muitos policiais militares com os olhos fechados para toda essa situação.

Fonte: Reservado sigilo de um policial de duas décadas na PMDF!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui