Após morte de professora por Covid-19, demissão de professor causa revolta na comunidade escolar

Escola Adventista de Planaltina-DF demite professor, após o docente solicitar medidas sanitárias cautelares

Por Helio Rosa

Comunidade escolar está em polvorosa nas redes sociais pedindo por justiça. Segundo denúncias, a demissão do professor Fabrício não teve explicação clara, principalmente em um período de pandemia de coronavírus, onde o Estado está preservando empregos.

 

“Uma injustiça muito grande. Um excelente professor. Ano passado foi vice diretor da escola. Dá a entender que sua demissão foi um cala boca para intimidar os demais… Uma covardia, nesse momento de pandemia demitir sem justa causa”, disse o senhor Gileno, pai de aluno que está inconformado.

Os professores das escolas particulares têm se dedicado muito neste momento, no caso da escola adventista planaltinense, há mais de mil alunos para um pouco mais de cem professores, o risco de contaminação é iminente.

A professora Lena da escola adventista de Planaltina-DF foi contaminada e, em poucos dias, vencida pela Covid-19. Isso assustou pais e alunos, como também os professores.

Numa carreata no dia do sepultamento da professora, alguns educadores aproveitaram para solicitar medidas sanitárias urgentes que gerassem no, mínimo, o isolamento daqueles que haviam se contaminado, bem como a oportunidade de trabalho remoto para aqueles professores que possuem comorbidades e estão no grupo de risco.

Leia também:

Máscara que tira ação do coronavírus é criada no DF

Prostitutas exigem prioridade na vacinação

A solicitação acarretou na demissão injusta do professor Fabrício, que aparentemente, liderava o movimento.

A direção da escola local em resposta a uma mãe

Diante da inconformidade, país e alunos foram para as redes sociais pedirem providências.

Seguem prints abaixo de banners criados pela comunidade escolar

Esta redação entrou em contato com os diretores dos departamentos responsáveis pela administração escolar que segundo sua assessoria de imprensa nos informaram que eles não se envolvem em questões internas, até mesmo por que se tratar de uma questão normal de demissão de professores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui