Fórmula E X F1: o primeiro comparativo em Mônaco

Audi e-tron FE07 #11 (Audi Sport ABT Schaeffler), Lucas di Grassi

Categoria com carros 100% elétricos, a Fórmula E realiza uma prova no lendário traçado de Mônaco a cada dois anos em Monte Carlo, sendo intercalado com o GP histórico de Mônaco, no qual carros do passado competem em uma exibição no circuito de rua mais famoso do mundo.

Quarta edição do e-Prix de Mônaco será realizada neste final de semana nas ruas de Monte Carlo© Luca Machado e Rodrigo França / Foto: Licas di Grassi Quarta edição do e-Prix de Mônaco será realizada neste final de semana nas ruas de Monte Carlo

Nas três primeiras edições do e-Prix de Mônaco, que tiveram vitórias de Sébastien Buemi em 2015 e 2017 e Jean-Éric Verne em 2019, contaram sempre com um traçado reduzido do circuito, com apenas 1,765 km de extensão. Agora, no entanto, a categoria utilizará o mesmo traçado da F1, tendo apenas algumas alterações mínimas para a F-E.

A curva Saint Devote, por exemplo, é a primeira da pista e foi encurtada para que os carros não necessitem de uma forte diminuição de velocidade. O brasileiro Lucas Di Grassi, campeão da F-E na temporada 2016-17 com a Audi Sport, foi o segundo colocado na prova monegasca em 2015 e 2017 e acredita que a prova terá muito mais uma prova com um maior número de ultrapassagens, destacando também a diferença para a Fórmula 1.

“O F-E escorrega muito mais na pista do que o F-1. Mas justamente por ter muito menos downforce, um carro de F-E consegue seguir o outro muito mais de perto e isso acaba deixando a corrida muito mais emocionante. Dá para ultrapassar muito mais do que na F-1”, avalia o brasileiro.

“Mônaco foi feita para a Fórmula E. Por isso é a corrida que mais espero neste ano”, afirma Di Grassi. “É um lugar onde gostaria muito de vencer. E não apenas por uma questão de posicionamento no campeonato. Mônaco é icônico, é um símbolo. Uma vitória aqui seria certamente um capítulo especial na carreira”, completou.

O traçado antigo do e-Prix de Mônaco tinha uma primeira reta no circuito e também uma curva alternativa na Saint Devote. A subida, a praça do Cassino, o hairpin e o túnel não eram utilizados.

Modo Ataque

A Fórmula E, desde a temporada 2018-19, conta com o Modo Ataque, que pode ser acionado pelos pilotos em uma parte específica do traçado. O boost de potência é de 25 kW e os carros contam com esse extra por algumas voltas.

O número de vezes que o piloto pode utilizar o Modo Ataque e a duração de cada um é definida pela categoria apenas uma hora antes da prova, o que proporciona apenas 60 minutos para que as equipes definam a estratégia de corrida.

A região em que o Modo Ataque poderá ser utilizado no e-Prix de Mônaco em 2021 na Fórmula E deverá ser na curva do Grand Hotel.

Temporada 2021 da F-E

A categoria de carros 100% elétricos já passou por três países em 2021 – Arábia Saudita, Itália e Espanha – e terá outras cinco sedes na temporada. A F-E passará também por México, Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha, além de Mônaco.

O e-Prix de Mônaco acontece neste final de semana, no dia 8 de maio, nas ruas de Monte Carlo – a prova, inclusive, terá transmissão ao vivo pela TV Cultura e pelo SporTV, com largada marcada para às 10h30 da manhã (horário de Brasília). A temporada, no entanto, terminará apenas em Berlim em agosto.

Fonte: MSN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui