Há crises que vêm para o bem, principalmente na imagem

Fuja de uma crise de imagem. Mas, se ela vier, use-a como uma plataforma que impulsione a sua reputação positivamente

O processo não é fácil. Ataques chegarão até você da mesma forma, mas ainda assim é possível dar a volta por cima e sair de uma crise com mais ganhos do que perdas. Alguns casos nos mostram isso.

Um bom exemplo de crise de imagem bem revertida envolve o grande ator e comediante Paulo Gustavo, que faleceu no dia 4 de maio de 2021. Semanas antes de lançar no cinema o filme “Minha Mãe é uma Peça 3”, vazou a informação de que não haveria beijo entre os dois homens que se casariam no longa. Uma grande crise foi gerada por conta disso. Muita gente achou que ele estava pecando em não exibir um beijo gay, ele mesmo sendo gay.

Foto do filme Minha Mãe é uma peça 3
Foto do filme Minha Mãe é uma peça 3

Essa crise fez com que a divulgação do filme fosse massiva e tornasse o “Minha Mãe é uma Peça 3” a maior bilheteria da história do cinema nacional, com R$ 143,9 milhões arrecadados. Além disso, os críticos que assistiram ao filme acharam a história tão linda, com uma mensagem de tolerância tão forte, que tornou o beijo dispensável.

Em 2007, aconteceu uma tragédia. O voo 3054 da Latam caiu e deixou 199 mortos. O Airbus A320-233 causou uma das maiores crises de imagem para uma marca daquela década. Mas o gerenciamento dessa crise foi eficaz e assertivo. Alguns dos passos foram: a Latam assumiu o seu erro, respondeu a imprensa com agilidade, deu todo suporte às famílias das vítimas e criou protocolos mais rigorosos de manutenção e checagem das suas aeronaves. Resultado? Ganhou a confiança do seu público e teve um aumento exponencial nos anos seguintes.

Madonna em show da The Confessions Tour
Madonna em show da The Confessions Tour

Outro caso de sucesso em gerenciamento de crise é o início da carreira de Madonna. Nos anos de 1990, a Rainha do Pop bateu de frente com o Papa e seus milhões de seguidores e se viu em um grande embate com a Igreja Católica, a maior religião do mundo. . Madonna foi oficialmente rejeitada pelas autoridades religiosas do Vaticano em três momentos: quando colocou fogo em uma cruz, no clipe de Like a Prayer, dos anos 1990, quando se masturbava no palco na turnê Blond Ambition e quando se crucificou no show Confessions, de 2006.

Mas essa crise constante fez da cantora uma antagonista às ideias da Igreja Católica e a consolidou com o público que a segue até hoje. Um grande exemplo de como as crises de imagens não são apenas terrenos minados. São também terrenos férteis.

É difícil saber quando uma crise de imagem pode ser revertida. Geralmente é um processo longo e doloroso. Requer etapas muito bem construídas e cada crise tem suas peculiaridades, não existem padrões a serem seguidos. Existem estudos de casos que podem servir de base para nortear o gerenciamento, mas cada crise requer estratégias específicas.

Se você está passando por uma crise de imagem, tem acesso a uma audiência. Parte dela trará prejuízos. Outra parte te defenderá e outros serão apenas espectadores. Você precisa entender como se comunicar de forma eficiente com todos. E, fazendo o caminho correto, tendo paciência, consistência e honestidade, as chances de reverter a seu favor são muito grandes.

Nós, do Conversa Estratégias de Comunicação Integrada, estamos à disposição para ajudá-lo neste processo. Entre em contato conosco. Vamos vencer essa crise juntos!

Bruno Aguiar, da Conversa Estratégias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui