Conselho de Desenvolvimento, cerca de três anos, celeiro de profissionais na gestão pública

No centro, Presidente do CDDF, Eugênio Piedade, o vice Helio Rosa à direita e o Secretário das Cidades, Gustavo Aires. Foto | Posse do CD-Águas Claras em 2.019.

Terceiro ano de existência e um vasto histórico em gestão compartilhada – governo e sociedade juntos

Por Helio Rosa

Desde sua origem em 2.018, quando então o Conselho de Desenvolvimento do DF e Entorno (CDDF) surgiu, criando 06 Superintendências e dando posse a cada uma, as demandas locais foram elencadas e encaminhadas à Administração Pública em forma de projetos de capacitação, empreendedorismo e turismo.

A articulação institucional e mobilização social feita pelo Presidente do CDDF, o idealizador, empresário Eugênio Piedade, as orientações técnicas e operacionais formuladas pelo vice-presidente Helio Rosa (hoje Presidente Nacional, substituído pela nova vice-presidente Marcilene Lima) e o apoio do segundo vice-presidente, Estevão Reis (hoje vice-presidente nacional) – conseguiram encaminhar ao governo dezenas de propostas de políticas públicas levantadas pelos mais de 1.000 conselheiros dos cerca de 100 Conselhos de Desenvolvimento das regiões administrativas e dos municípios do Entorno – cidades e bairros.

O CDDF teve o privilégio com indicações de conselheiros e conselheiras de seus quadros para estarem à frente de administrações regionais, e cargos importantes em secretarias e na administração pública, tais como as administradoras do Varjão e do Guará, Nair Queiroz e Vânia Gurgel, os administradores de Planaltina, Samambaia, Estrutural e Sol Nascente/Por do Sol, Gilson Amorim, Gustavo Aires, Germano Guedes e Godim Carneiro e o secretário executivo de Turismo, Estevão Reis, ex-secretário de obras do Arruda, Jaime Alarcão, a subsecretária de Infraestrutura de Turismo, Márcia Maia, o subsecretário da Família, Mateus Lolas, e a servidora na pasta Alzira Folha, o diretor de trânsito do DETRAN-DF, Francisco Saraiva, o subsecretário de mobilidade e transporte, Ricardo Gross, os chefes dos conselhos tutelares de Planaltina, Edimilson Carvalho e de Brazlândia, Aline Queiroz, o superintendente federal de agricultura, Bernardo Sayão, a prefeita de Planaltina-GO, Dona Cida, o secretário de meio ambiente de Planaltina-GO, João Ludugero. E, agora, a administradora do SCIA Estrutural, Vânia Gurgel e o administrador do Jardim Botânico, Hamilton Santos.

Como Procedimento de Manifestação de Interesse Social – PMIS, artigo 18 da Lei 13.019/2014, que institui o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), o CDDF tem realizado muitas ações emergenciais, sociais e estruturantes, bem como executado em parceria com o governo e as OSC’s do Consórcio Nacional de Valorização ao Desenvolvimento, órgão do CDDF, através de emendas parlamentares, projetos de empreendedorismo social, criativo, inovador, tecnológico, cultural, colaborativo e circular, tais como 05 Passos para o Desenvolvimento Fases 01 e 02, Super Empreendedores, Mega Pacote do Covid-19, Reduzir Desperdícios, Fome Não é Fake, Salvando Pet’s, e muitos outros em processo de liberação de fomentos governamentais para execução nas Secretarias de Estado do GDF.

Atualmente, seu planejamento estratégico é “Rumo às Parcerias Compartilhadas”, tendo como base os 17 objetivos do desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 da ONU, focando seus projetos autossustentáveis do Banco Digital, Educação Digital e Agência Digital de Comunicação, expandindo seus conselhos de desenvolvimento pelo Brasil afora, através da economia colaborativa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui