Voluntariado da CLDF completa um ano de ações sociais e de reflorestamento

Ações de reflorestamento começaram no parque Ezequias Heringuer. Neste ano, foram beneficiados o Parque Ecológico do Lago Norte e o Parque Bernardo Sayão

Desde seu lançamento, em junho do ano passado, o Programa de Voluntariado da CLDF busca estimular a participação cidadã em ações sociais e de reflorestamento ambiental. A chegada do inverno e as dificuldades decorrentes da pandemia impulsionaram a primeira ação, uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social do DF na campanha do agasalho, com pontos de coleta na sede do Legislativo local.

Logo em seguida, o programa doou 750 cestas básicas ao Comitê de Emergência Covid-19, como lembra a presidente do Comitê do Voluntariado da CLDF, Rafaela Abrantes, que destacou o papel de unir a doação de pessoas físicas, solidárias com o momento, às famílias em situação vulnerável. O comitê da CLDF foi o “elo” entre as ações, enfatizou. Em outubro, além de ação voltada ao Dia das Crianças, o programa entregou mil aventais hospitalares descartáveis para o Hospital Regional da Asa Norte (HRAN).

Voluntariado Ambiental

Com foco específico na preservação ambiental e contra o desmatamento, o Comitê de Voluntariado Ambiental do Programa de Voluntariado da CLDF realizou sua primeira ação de reflorestamento em dezembro do ano passado, com o plantio de 500 mudas de espécies nativas do cerrado no Parque Ezechias Heringer, no Guará II. Por meio do engajamento voluntário de servidores da Casa e de outros membros da sociedade civil, o principal objetivo do programa é promover medidas para recuperar áreas degradadas e estimular o plantio de árvores nativas.

Neste ano, foram beneficiados com ações de reflorestamento o Parque Ecológico do Lago Norte e o Parque Bernardo Sayão com o plantio de mudas do cerrado, como araçá do campo, angico, urucum e ipês. Os eventos de reflorestamento de parques urbanos foram organizados pelo Comitê em parceria com a Novacap, a Caesb, as administrações regionais e o Instituto Brasília Ambiental (Ibram).

Sobre o primeiro ano de atuação do Programa de Voluntariado da CLDF, a presidente avalia que a iniciativa surgiu em meio à pandemia para atender aos mais vulneráveis e ampliou seu escopo. “A cada gesto, a cada contribuição e partilha, ficou visível que ali estávamos em missão, que tem ainda uma longa estrada”, assinalou Rafela Abrantes.

Legislação

Imbuído nesse propósito, o deputado Delmasso (Republicanos) propôs a Política Distrital de Incentivo ao Voluntariado – objeto da Lei 6.857/2021, publicada em maio deste ano – a fim de aumentar o engajamento da população do DF e estimular a participação cidadã em ações sociais, culturais, ambientais e assistenciais, realizadas por meio de parcerias entre o governo, organizações civis e o setor privado. “A proposição obedece ao princípio da complementaridade e não exclui as obrigações do Estado”, observou o autor, por ocasião da apreciação da matéria pela Casa.
Entre as diretrizes da política de incentivo constam mobilização, divulgação e desenvolvimento de atividades voluntárias, integração da base de dados sobre voluntariado no DF, visibilidade dos projetos, além de fomento a estudos e pesquisas na área.

Franci Moraes – Agência CLDF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui