Hoje acontecerá o mais épico eclipse lunar desde há mais de 500 anos

Quem gosta destas curiosidades cósmicas vai certamente deliciar-se com os pormenores deste evento que já está a acontecer e que marca as novidades do espaço e da Lua desta semana. Durante o dia de hoje (nalguns locais do planeta será ao final desta quinta e início da sexta), muitas pessoas terão oportunidade de presenciar um eclipse lunar parcial, o mais longo em 580 anos.

Na verdade, quando se fala em parcial tem de ser referido que a Lua ficará totalmente “apagada” em mais de 99% da sua superfície e por algumas horas, segundo a NASA.

Eclipse lunar: Nunca se viu nada assim desde 1441

Apesar de este não ser o primeiro eclipse lunar deste ano, tendo em conta que o primeiro foi um eclipse lunar total que ocorreu em maio, este vai ser um eclipse especial.

Todo o evento durará pouco mais de seis horas, e a Lua vai passar um eclipse lunar total de três horas, 28 minutos, e 24 segundos a passar pela parte mais escura da sombra da Terra (o seu umbra) – tornando-o no eclipse lunar parcial mais longo desde 1441, e de longe o mais longo deste século.

Conforme é referido, os eclipses lunares ocorrem quando a Terra passa entre o Sol e a Lua, lançando a sua sombra sobre o nosso satélite lunar. Apesar desse “apagão”, a Lua não escurece completamente da mesma forma que o Sol é apagado durante um eclipse solar total.

Em vez disso, alguma luz solar curva-se através da atmosfera terrestre, oferecendo uma iluminação “artificial” dando à Lua um brilho vermelho assustador. Aliás, é este tom avermelhado que dá a alcunha de ‘lua de sangue‘.

O eclipse quase total será visível através do lado noturno da Terra. Poderá ser visto no céu da América do Norte, Austrália, Nova Zelândia, Japão, China, Sudeste Asiático, bem como Havai e partes da Rússia. Uns quinta-feira ao final do dia e outros durante a madrugada de sexta-feira. Infelizmente, em Portugal, não poderá ser visto este fenómeno.

Ilustração do processo do eclipse total da Lua

Qual a razão deste eclipse lunar ser tão longo?

Na verdade, conforme referem os especialistas, este fenómeno ocorre exatamente quando a Lua está prestes a chegar ao seu apogeu – o ponto mais longínquo da Terra na sua órbita. Isso significa que também se move à sua velocidade mais lenta através da sua órbita e leva o seu doce tempo a passar pela sombra do nosso planeta.

Para comparação, o eclipse lunar de maio foi uma hora mais curto. Isto é, durou cinco horas e dois minutos no total, e com a parte mais escura da sombra da Terra a passar sobre a Lua apenas durante duas horas e 53 minutos.

Este evento, para os felizardos, poderá ser acompanhado a olho nu e será algo que a humanidade não presencia há mais de 500 anos. Quando aconteceu em 1441 era Rei de Portugal o jovem D. Afonso V, o trono nessa altura era regido pelo Infante D. Pedro.

Outra curiosidade tem a ver com os eclipses lunares que antecedem algumas semanas um eclipse solar. Assim, teremos um eclipse solar total que acontecerá no próximo dia 4 de dezembro. Infelizmente, apenas no Oceano Meridional ou na Antártica poderão observar tudo.

Ainda assim, o eclipse lunar desta semana será uma oportunidade espetacular para alguns desfrutarem de um breve momento de alinhamento astronómico.

Poderá seguir aqui ao vivo quando estiver a acontecer do outro lado do mundo.

Rogério Cirino de Sá Ribeiro, goiano, 51 anos, casado, três filhos. Bacharel em Administração de Empresas pela UNIPLAC. Licenciado em História pela UPIS e MBA em Gestão de Projetos pela ESAD. Empresário do audiovisual desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui