Ministros indicados ao STF representarão 20% dos interesses do governo, diz Bolsonaro

Além de André Mendonça, Bolsonaro também indicou Nunes Marques, empossado em 2020, ao STF

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (2) que os ministros indicados pelo seu governo ao Supremo Tribunal Federal (STF) representarão 20% dos interesses do Executivo na Corte. A declaração aconteceu em cerimônia no Palácio do Planalto, onde Bolsonaro sancionou decretos relacionados ao vale-gás para famílias de baixa renda.

Ontem, o Senado aprovou o nome de André Mendonça, indicado por Bolsonaro a uma vaga no Supremo.

“Hoje em dia, eu não mando nos dois votos no Supremo, mas são dois ministros que representam, em tese, 20% daquilo que nós gostaríamos que fosse decidido e votado dentro do Supremo Tribunal Federal”, disse o presidente, se referindo a Mendonça e a Nunes Marques, também indicado por ele e empossado em outubro de 2020.

Bolsonaro ainda agradeceu os votos do Senado. O chefe do Executivo afirmou que gostaria de indicar um “ministro terrivelmente evangélico ao Supremo”.

“Tínhamos o compromisso de um evangélico no Supremo, mas obviamente um evangélico com enorme capacidade e saber jurídico”, continuou Bolsonaro. “Agradeço aos senadores pelo entendimento de que o André é uma pessoa adequada para ser o ministro que não abrirá mão de defender a nossa Constituição, nossa democracia e liberdade”, completou.

Redação – Cultura Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui