Presidente da Assembleia da ONU afirma que vacinação mundial é principal prioridade do Ano Novo

Meta da ONU é vacinar 70% da população mundial até meados de 2022

Abdulla Shahid, presidente da 76ª sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (AGNU), disse que sua primeira meta para o Ano Novo é vacinar o mundo e alcançar a igualdade de vacinas para que a normalidade pode retornar ao mundo inteiro mais cedo.

“Minha maior prioridade será a vacina. É por isso que estou convocando esta reunião de alto nível no dia 13 de janeiro. É por isso que quero fazer minha resolução de Ano Novo sobre a vacina”, disse o presidente da AGNU, ou PGA, disse a repórteres na sede da ONU em Nova York ao responder à pergunta sobre suas principais prioridades para o ano que vem.

Shahid sediará o evento de alto nível Rumo à Vacinação Universal: Da Esperança à Ação em janeiro, quando ele espera reunir todos os 193 estados-membros da ONU e adotar uma resolução sobre a vacina de COVID-19.

“Na minha vida, nas últimas décadas, tive muitas resoluções de Ano Novo, mas desta vez estou escolhendo uma mais modesta, vacinar o mundo. Quero que todos se juntem a mim”, enfatizou Shahid.

A PGA expressou a confiança de que “a comunidade internacional tem capacidade para fazer isso. E está tão claro agora que, a menos que possamos vacinar o mundo, não há saída para isso”.

Sobre a meta da ONU de vacinar 40 por cento de toda a população até o final deste ano e 70 por cento até meados de 2022, a PGA afirmou que a meta ainda não foi alcançada.

“Quando você olha para os países da África onde eles têm uma taxa média de vacinação de no máximo 5 ou 6 por cento. Então, não podemos dizer com confiança que estamos perto da equidade. Portanto, para nós, para os 193 estados-membros na Organização das Nações Unidas, devemos ter esse objetivo de vacinar o mundo”, disse ele.

“A menos que possamos vacinar o mundo, a economia não está se recuperando, a normalidade social e educacional não vai acontecer. Qualquer grau de certeza do modo de vida que tivemos no passado não vai acontecer”, afirmou o PGA.

Shahid avisou que, na situação em que novas variantes surgem uma após a outra, “o novo normal será empurrado novamente cada vez mais para os territórios desconhecidos. Isso, não podemos permitir, e é por isso que precisamos nos esforçar conjuntamente”.

Xinhua/Diplomacia Business

Helio Rosa, planaltinense, 50 anos, casado, pai de três filhos, graduado em ciências naturais e gestão pública. Jornalista e especialista em Administração Pública e Gerência de Cidades. Fez Agenda 21 e Coleta Seletiva. Foi Conselheiro do CONAM-DF e do CBH-Paranaiba. Está como Presidente do Conselho de Desenvolvimento Nacional - CDN. Ministra cursos de empreendedorismo, terceiro setor, trabalho remoto, economias circular, criativa e compartilhada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui