Leila do Vôlei, a bola da vez para os partidos

Ao se escalar um time, o técnico já escolhe logo o seu titular, o interessante é que Leila e a jogadora e a técnica

A senadora Leila do Vôlei (Cidadania) que começou sua carreira no esporte sabe bem que assumir sua posição é o mais importante para uma equipe.

A independência de Leila na política é notória, apesar de ser mulher, não foi submissa aos interesses dos partidos que se filiou. Em meados desde ano, assumiu a Procuradoria da Mulher no Senado Federal.

Em outubro, Leila do Vôlei recebeu o Prêmio Congresso em Foco que anunciou os vencedores da edição 2021. Na categoria Melhores do Senado, a senadora Leila Barros foi escolhida como um dos cinco destaques apontados pelo júri especializado. Também foram homenageados a senadora Simone Tebet (MDB) e os senadores Alessandro Vieira (Cidadania), Randolfe Rodrigues (Rede) e Jaques Wagner (PT).

Leila é oriunda do antigo PRB da Igreja Universal, ficou como suplente e assumiu a Secretaria de Esportes do DF, conseguiu se eleger senadora pelo PSB de forma independente, superando até a rejeição de 70% do ex-governador Rollemberg e vencendo o ex-senador Cristóvão Buarque (Cidadania) que já tinha uma história de dois mandatos como Senador da República do DF.

Mas atualmente, a senadora está recém-chegada no Cidadania e vivendo um momento de ser conquistada, uma vez que seu partido atual tem um prazo até 15 de janeiro de 2021 para definir se faz federação com PSDB ou Podemos, mas qualquer um dos dois pode não ser a melhor escolha, pois levará Leila a esbarrar na decisão do senador Izalci de disputar o GDF e na indecisão do senador Reguffe (Podemos) de disputar reeleição pelo DF.

O Cidadania de Brasília agendou sua convenção partidária para 29 de janeiro de 2022, onde vão definir seu novo diretório e executiva regional, um prazo bem estendido para ver se terá Leila do Vôlei em seus quadros.

Enquanto isso, duas legendas que não vão se federar, o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab já sinalizou que quer Leila do Vôlei como candidata ao Buriti em 2022, e a presidenciável do MDB, Simone Tebet também quer palanque com Leila no DF.

Alguns líderes do PROS também sugeriram a senadora Leila de se filiar na legenda, mas é necessário o presidente nacional Euripedes Júnior acatar a ideia, a vantagem é que o partido não terá candidato à Presidência da República e nem fará Federação e, até agora, o foco está nas eleições de deputados federais para vencer a cláusula de desempenho exigida pela lei eleitoral, com isso pode ser uma segurança partidária para a senadora.

Além desses partidos, uma legenda com um grande fundo eleitoral também está de olho no passe da senadora Leila do Vôlei, até já conversou com ela e aguarda resposta.

Vivemos um momento de prazos eleitorais, federações e fusões partidárias. Em março de 2022 se inicia a janela partidária de 30 dias, os partidos políticos estarão procurando jogadores titulares para escalarem seus times para concorrerem nos estados; Leila do Vôlei é a bola da vez!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui