GDF anuncia plano de mobilização de leitos e testagem ampliada

Com aumento dos casos de covid-19 e influenza, o objetivo é evitar a sobrecarga na atenção primária e nas emergências da rede pública

O Governo do Distrito Federal anunciou, nesta quarta-feira (12), uma série de ações de enfrentamento à pandemia de covid-19. Plano de mobilização de leitos, testagem ampliada e apelo pela vacinação foram as medidas apontadas pelo Executivo durante coletiva de imprensa no Palácio do Buriti.

Para evitar uma sobrecarga, o governo fará a remobilização de leitos e medidas de impacto rápido, como a oxigenoterapia domiciliar, leitos bloqueados e potencialização dos recursos da Rede de Atenção à Saúde.

“O momento é justamente de olharmos para a pandemia, nosso desafio é que não gere sobrecarga. Já vimos previamente que o aumento dos casos não se refletiu em internações e nem em óbitos”, explicou secretário adjunto de Assistência à Saúde, Fernando Erick Damasceno Moreira. “O olhar na Saúde é para dentro da porta da emergência, da atenção primária e das UPAs”, completou.

A outra ação consiste na testagem ampliada dos sintomáticos e dos contactantes, pessoas que tiveram contato com outras já positivadas com coronavírus. O objetivo é diminuir a circulação do paciente com covid-19 e fazer o monitoramento do comportamento pandêmico da variante Ômicron. “Essas são ações para diminuir a transmissibilidade e frear as cascatas com os casos de gripe”, completou Dasmaceno Moreira.

De acordo com o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, a rede pública está abastecida com testes para atender a população. Caso seja necessário, o titular da pasta afirmou que pedirá novas unidades para o Ministério da Saúde, que é responsável pelo reabastecimento.

Vacinação

Apesar de ter atingido 85,18% da população acima de 12 anos vacinada com as duas doses, a capital federal ainda conta com 200 mil pessoas que não foram imunizadas contra a covid-19. Outro número preocupa. Noventa por cento dos casos de pacientes internados com o coronavírus são de pessoas não vacinadas ou sem completar o ciclo vacinal.

“É evidente que queremos mais vacinados. É favorável e vamos prosseguir na vacinação, fazendo uma verdadeira busca ativa. E agora vamos viver a esperança da chegada da vacina das crianças”, avaliou General Pafiadache.

Para atingir o público não vacinado, o governo tem feito uma busca ativa, como a instalação de um posto de vacinação na Rodoviária do Plano Piloto e a imunização itinerante, a exemplo da que ocorreu no último fim de semana no Sol Nascente/Pôr do Sol.

Testagem de covid-19 continua na rede pública de saúde

A outra medida é a ampliação da vacina, que chegará até as crianças de 5 a 11 anos. A campanha infantil está prevista para começar no domingo (16) após a chegada de 16,3 mil doses de Pfizer. Na primeira etapa, serão vacinadas as crianças com comorbidades e deficiência permanente de 5 a 11 anos e as crianças de 11 anos sem comorbidades.

“Faço um apelo à vacinação, vacina boa é vacina no braço. A vacina nos dá tranquilidade em continuar trabalhando com tudo aberto”, afirmou o governador em exercício, Paco Britto.

FONTE AGENCIA BRASILIA

Rogério Cirino de Sá Ribeiro, goiano, 51 anos, casado, três filhos. Bacharel em Administração de Empresas pela UNIPLAC. Licenciado em História pela UPIS e MBA em Gestão de Projetos pela ESAD. Empresário do audiovisual desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui