Faustão estreia na Band em 2º no IBOPE

Foto: reprodução redes sociais

A escolha de Horarios mostra um tom conciliatório com a Globo

Matéria: Yahoo Notícias

Faustão na Band estreou em grande estilo. Com convidados do porte de Zeca Pagodinho, Seu Jorge e Alexandre Pires, o consagrado apresentador demonstrou a desenvoltura de sempre e fez o brasileiro sorrir em plena segunda-feira (17). A estreia foi tão perfeita, e divertida, que criou um problema para o próprio apresentador: como manter um nível tão alto de entretenimento nos dias que estão por vir?

Ele já havia dado uma boa amostra do que estava por vir na virada do ano. A estreia do programa, no entanto, conseguiu superar expectativas ao mostrar tudo o que a TV carecia depois da saída de Fausto Silva da TV Globo: boa música, clima de diversão e até mesmo as videocassetadas – que tiveram a missão de abrir a programação do novo programa.

Começar o programa com vídeos engraçados de quedas estapafúrdias, quase nunca inéditos, foi uma ideia de mestre: quadro conhecido por agradar desde crianças a idosos, ele provavelmente convenceu os mais novos, acostumados a assistir à novela “Carinha de Anjo”, no SBT, no horário que poderiam se divertir também na Band.

Logo depois do quadro, Faustão chamou Zeca Pagodinho ao palco. Com o apoio luxuoso de uma orquestra e do maestro Rildo Hora, o sambista deu show tanto com um repertório e intocável quanto pelos comentários espirituosos. “Pouca gente sabe, mas o Zeca Pagodinho não pega táxi. Só anda de carona pelo Rio”, disse o apresentador. “Eu chego no ponto e sempre alguém me para e pergunta: Zeca, vai para onde? Aí eu vou”, respondeu o cantor, sem medo de sequestro.

Como se não bastasse uma atração musical de peso, o programa teve outra na sequência: Seu Jorge e Alexandre Pires apresentaram o projeto “Irmãos”, que reúne os hits de cada um. O público, então, nem teve tempo de descansar: ouviu duas horas seguidas de samba, tocados por gente do mais alto gabarito.

Faustão na Band estreou em grande estilo. Com convidados do porte de Zeca Pagodinho, Seu Jorge e Alexandre Pires, o consagrado apresentador demonstrou a desenvoltura de sempre e fez o brasileiro sorrir em plena segunda-feira (17). A estreia foi tão perfeita, e divertida, que criou um problema para o próprio apresentador: como manter um nível tão alto de entretenimento nos dias que estão por vir?

Ele já havia dado uma boa amostra do que estava por vir na virada do ano. A estreia do programa, no entanto, conseguiu superar expectativas ao mostrar tudo o que a TV carecia depois da saída de Fausto Silva da TV Globo: boa música, clima de diversão e até mesmo as videocassetadas – que tiveram a missão de abrir a programação do novo programa.

Começar o programa com vídeos engraçados de quedas estapafúrdias, quase nunca inéditos, foi uma ideia de mestre: quadro conhecido por agradar desde crianças a idosos, ele provavelmente convenceu os mais novos, acostumados a assistir à novela “Carinha de Anjo”, no SBT, no horário que poderiam se divertir também na Band.

Logo depois do quadro, Faustão chamou Zeca Pagodinho ao palco. Com o apoio luxuoso de uma orquestra e do maestro Rildo Hora, o sambista deu show tanto com um repertório e intocável quanto pelos comentários espirituosos. “Pouca gente sabe, mas o Zeca Pagodinho não pega táxi. Só anda de carona pelo Rio”, disse o apresentador. “Eu chego no ponto e sempre alguém me para e pergunta: Zeca, vai para onde? Aí eu vou”, respondeu o cantor, sem medo de sequestro.

Como se não bastasse uma atração musical de peso, o programa teve outra na sequência: Seu Jorge e Alexandre Pires apresentaram o projeto “Irmãos”, que reúne os hits de cada um. O público, então, nem teve tempo de descansar: ouviu duas horas seguidas de samba, tocados por gente do mais alto gabarito.

O público reconheceu o esforço, como mostram os números de audiência. Só na Grande São Paulo, Faustão na Band ficou em segundo lugar na audiência geral, com 8,3 pontos de média na Grande São Paulo e picos de 10, vencendo RecordTV, SBT e todos os canais pagos somados. Até mesmo a primeira colocada, a Globo, viu o seu Jornal Nacional marcar 20 pontos – três a menos que o registrado em média.

Em suma: deu tudo certo. A estreia representou um abraço caloroso do público em dos maiores apresentadores da história da TV. O fator estreia e saudade, porém, se esgotaram hoje, deixando para o apresentador de 71 anos apenas um desafio comum a maioria dos brasileiros: buscar o insustentável padrão de excelência no trabalho todo santo dia. Como estamos falando de um bilionário, parece até loucura.

Helio Rosa, planaltinense, 50 anos, casado, pai de três filhos, graduado em ciências naturais e gestão pública. Jornalista e especialista em Administração Pública e Gerência de Cidades. Fez Agenda 21 e Coleta Seletiva. Foi Conselheiro do CONAM-DF e do CBH-Paranaiba. Está como Presidente do Conselho de Desenvolvimento Nacional - CDN. Ministra cursos de empreendedorismo, terceiro setor, trabalho remoto, economias circular, criativa e compartilhada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui