Deputados defendem que GDF resolva situação de associação de autistas

FONTE: Agência CLDF

A ordem de despejo da Secretaria de Saúde para que a Associação dos Autistas do Distrito Federal (AMA-DF) deixe o espaço, que ocupa há cerca de 35 anos, no Instituto de Saúde Mental, no Riacho Fundo, levou deputados distritais de diversos partidos a se mobilizarem a favor da causa. Na sessão ordinária da Câmara Legislativa desta quarta-feira (9), os parlamentares se sucederam na tribuna solicitando ao GDF uma solução satisfatória para o caso que ganhou repercussão, dentro e fora do país, depois que o apresentador Marcos Mion, em rede social, apelou ao governador Ibaneis Rocha para que a organização não seja fechada.

Primeiro a tratar da questão no plenário, o deputado Professor Reginaldo Veras (PDT) defendeu que o governo “deve incentivar, financiar, abraçar e não remover a organização”. Para ele, os gestores públicos foram “insensíveis”. Além disso, observou que “o governo local somente trabalha na base da pressão”, comentando o recuo de 48 horas, após a reverberação da notícia.

O deputado João Cardoso (Avante) também se solidarizou com a AMA-DF durante seu pronunciamento. Por sua vez Leandro Grass (Rede), que anunciou que irá ingressar no Partido Verde, acredita que o GDF já podia ter “construído uma alternativa” que evitasse o despejo. O distrital colocou-se à disposição para trabalhar na solução do caso.

Já Eduardo Pedrosa (DEM) conclamou os demais parlamentares a se unirem em favor da organização, cuja remoção considerou “inadmissível”.

Rogério Cirino de Sá Ribeiro, goiano, 51 anos, casado, três filhos. Bacharel em Administração de Empresas pela UNIPLAC. Licenciado em História pela UPIS e MBA em Gestão de Projetos pela ESAD. Empresário do audiovisual desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui