12.5 C
Brasília
segunda-feira, maio 23, 2022
Início CURIOSIDADES Os 6 principais segredos que o McDonald’s esconde

Os 6 principais segredos que o McDonald’s esconde

A rede de fast food McDonald’s é um verdadeiro paradoxo. Por um lado, ela é consumida e amada no mundo inteiro, especialmente pelas crianças. Por outro, o McDonald’s é visto como uma empresa que comercializa comida pouco saudável e é conhecida por oferecer más condições de trabalho.

FONTE: MEGA CURIOSO

A verdade é que o McDonald’s tem mais histórias bizarras do que a empresa gostaria de admitir. Por isso, contamos neste texto 6 segredos que a maior rede de hambúrgueres do mundo não gostaria que você soubesse.

1. Algumas opções vegetarianas não são… vegetarianas

(Fonte: Metrópoles)

Por muito tempo, o McDonald’s ofereceu suas famosas batatas fritas como opção do cardápio vegetariano. Afinal, seriam só batata, sal e óleo, certo? O que a empresa não contava é que suas batatas fritas continham 19 ingredientes diferentes — sendo um deles a gordura de carne.

O McDonald’s escondia esta informação listando os ingredientes simplesmente como “aroma natural”, mas eles acabaram sendo descobertos e processados. Depois disso, a rede precisou remover o ingrediente da receita.

2. A empresa está sendo processada por discriminação racial

(Fonte: CUT)

O McDonald’s está sendo processado nos Estados Unidos por 52 proprietários de franquias da rede. A acusação é de discriminação racial: eles alegam que a empresa vendeu a franqueados negros pontos mal localizados e com movimento fraco em várias cidades do país propositalmente.

O processo ainda está correndo — e a empresa, claro, nega as acusações. O fato é que o McDonald’s tem, nos Estados Unidos, cerca de 180 franqueados negros, número que caiu pela metade desde 1998. Os requerentes pedem uma indenização de 5 milhões de dólares por cada loja fechada.

Veja também:


 

3. O caso do café quente

(Fonte: Mega Curioso)

Em 1992, uma idosa chamada Stella Liedeck, de 79 anos, foi a um drive-thru do McDonald’s em Albuquerque, no estado americano de Novo México. Lá, pediu um café e o acomodou em suas pernas, quando um grave acidente aconteceu: ela derramou o café no colo e teve queimaduras de terceiro grau nas pernas, na virilha e na região genital. Precisou, inclusive, fazer enxertos de pele.

A família de Stella processou o McDonald’s, que não quis assumir a responsabilidade, o que gerou um longo processo que se tornou famoso. A idosa, inclusive, passou a ser ridicularizada na mídia por conta do caso. No fim, Stella ganhou o processo, e provou-se que o McDonald’s vendia café aquecido a quase mais de 40 graus acima do normal. O café que a queimou estava a 87 graus!

4. A venda de carne contaminada em Xangai

(Fonte: Tripadvisor)

Em 2014, um repórter filmou uma fábrica de processamento de alimentos em Xangai, na China, que pertencia ao grupo OSI e comercializava carne para vários fast foods. As cenas mostravam os trabalhadores mexendo na carne sem proteção e reembalando carne vencida.

Todas as empresas romperam seus contratos com a OSI, com exceção de uma: o McDonald’s. Além de não terminar o acordo, a rede ainda mentiu dizendo que nunca havia trabalhado com aquela fábrica. Não bastando, o McDonald’s, desafiando qualquer medida ética, seguiu comprando carne do mesmo fornecedor, enquanto outras empresas (como Burger King e Pizza Hut) cortaram definitivamente os laços com o grupo OSI.

5. O escândalo do McAfrika

(Fonte: Mashed)

Em 2002, a empresa enfrentou um mini escândalo envolvendo um péssimo planejamento de marketing. O McDonald’s lançou um sanduíche chamado McAfrika, e tudo que envolvia esse lanche foi extremamente mal feito.

Para começar, ele era anunciado como uma “autêntica receita africana”, sendo que seus ingredientes eram apenas carne, queijo e tomate embalado em um pão pita. Para concluir, ele foi lançado num momento de fome severa no continente africano, e ninguém se deu conta que nomear um sanduíche gorduroso de África seria uma má ideia. Não é preciso nem dizer que o lanche durou pouco tempo no cardápio da franquia.

6. A falácia da comida saudável

(Fonte: Metro World News)

O McDonald’s é constantemente acusado de promover a má alimentação e estar associado com as altas taxas de obesidade em vários países, sobretudo nos Estados Unidos. Por isso, uma preocupação permanente do marketing da rede é tentar trazer uma ideia de que o cardápio se tornou mais saudável com o tempo.

Ocorre que o que eles anunciam como saudável muitas vezes é só fachada. Uma campanha do McDonald’s afirmou que os hambúrgueres não teriam mais conservantes, mas o fato é que um terço deles ainda contém. Depois, anunciou que removeria o xarope de milho, altamente calórico, dos ingredientes — mas o retirou apenas da composição dos pães.

Outra questão é o cardápio de saladas, obviamente mais saudáveis que hambúrgueres, mas elas muitas vezes são mais calóricas que alguns sanduíches, por conterem molho e queijo. Dá para dizer então que transparência na comunicação não é uma marca desta empresa gigante.

Rogério Cirino de Sá Ribeiro, goiano, 51 anos, casado, três filhos. Bacharel em Administração de Empresas pela UNIPLAC. Licenciado em História pela UPIS e MBA em Gestão de Projetos pela ESAD. Empresário do audiovisual desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui