Abram os olhos: Pré-candidatos podem acabar como cabos eleitorais

Novas regras e federações partidárias deixaram as nominatas mais confusas

As novas regras interferiram nas eleições do DF e reduziram para 25 vagas para deputados distritais, sendo 08 mulheres, e para deputados federais serão 09 vagas, sendo 03 para mulheres, isso diminuirá um terço das vagas e cada uma será disputada igual a concurso público.

Enquanto o prazo eleitoral termina no início de abril e as federações no fim de maio, desse modo, aumentam as promessas, mas sem garantias.

Com essas informações, alguns dirigentes partidários continuam com a mesma conversa, prometem aos pré-candidatos transferirem apoios políticos e mais à frente o recurso financeiro, enchem a legenda, depois nenhum nem outro.

Outros pré-candidatos estão recebendo cargos comissionados, mas quando tiverem de se desincompatibilizar em abril, não terão como fazer mais nada, pois já estarão filiados nos partidos.

Se o pré-candidato tiver em um grupo político transparente e de credibilidade que não trabalha com falsas promessas e nem com “surpresinhas”, no final do prazo eleitoral, pode-se dizer que estará em segurança partidária. Caso contrário, poderá não ter vaga e ser apenas um cabo eleitoral da legenda.

A maioria das nominatas tem um “curinga” que pode assumir o lugar de alguém em qualquer outra nominata, seja de partido grande ou até mesmo os chamados partidos de aluguéis e, assim, pré-candidatos poderão servir de escadas para esses “curingas”.

Abram os olhos e não assumam participar de nominatas às cegas, pois podem acabar como escadas, cabos eleitorais ou até mesmo em nada.

Helio Rosa, planaltinense, 50 anos, casado, pai de três filhos, graduado em ciências naturais e gestão pública. Jornalista e especialista em Administração Pública e Gerência de Cidades. Fez Agenda 21 e Coleta Seletiva. Foi Conselheiro do CONAM-DF e do CBH-Paranaiba. Está como Presidente do Conselho de Desenvolvimento Nacional - CDN. Ministra cursos de empreendedorismo, terceiro setor, trabalho remoto, economias circular, criativa e compartilhada.

1 COMENTÁRIO

  1. Prezado, a afirmação “25 vagas para deputados distritais, sendo 08 mulheres, e para deputados federais serão 09 vagas, sendo 03 para mulheres” não procede. A reserva na legislação é de gênero. Sendo homens ou mulheres. Garantido o percentual mínimo diante do total. Importante lembrar também que trata-se de percentual mínimo!!! ou seja, não são X vagas para mulheres. O correto seria dizer “pelo menos” x vagas para a cota de gênero. Explicando melhor: se eventualmente tivéssemos um partido em que a maioria fosse de mulheres, também deveria ser reservado os 30% para homens (pelo menos).
    No mais, penso que está correta sua avaliação!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui