Política Local ou Regional, um aviso: “Decisões vêm de cima”

Enquanto se mexem local ou regionalmente, a nacional dos partido vem e decide

A chave do Pix quem tem é o Presidente Nacional de um Partido, e ele não vai transferir para quem não faz parte da lista acordada pelos interesses partidários, um deles é alcançar a cláusula de barreira para continuar existindo, outros de fazerem a maioria no Congresso Nacional.

Existe uma velha frase popular, “quem quer ser grande sem poder, fica pequeno sem querer”, assim são os pré-candidatos, seja disputando como deputados distritais, federais, senadores ou governadores.

O cenário de Brasília disse tudo isso. A pessoa pretende disputar ao governo, de repente, quando se assusta, nem partido tem, imagine uma candidatura à Câmara Legislativa ou à Câmara Federal.

Para distritais e federais, é de se ver assessores fazendo contas de dia e de noite e a conta não fecha, por que seu pré-candidato (a) quer desafiar a lei da matemática, participando de uma nominata de tubarões na política.

Outros tubarões querendo sentar na janela de uma partido que tem sua “surpresinha”, para alguns dirigentes de legenda, essas chamadas surpresas de última hora, pode até ser esses tubarões; “Pagando bem que mal tem?”, uma frase popular que todos conhecem, principalmente na política!

Helio Rosa, planaltinense, 50 anos, casado, pai de três filhos, graduado em ciências naturais e gestão pública. Jornalista e especialista em Administração Pública e Gerência de Cidades. Fez Agenda 21 e Coleta Seletiva. Foi Conselheiro do CONAM-DF e do CBH-Paranaiba. Está como Presidente do Conselho de Desenvolvimento Nacional - CDN. Ministra cursos de empreendedorismo, terceiro setor, trabalho remoto, economias circular, criativa e compartilhada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui