Insegurança jurídica no PROS pode ser refugo para filiar pré-candidatos

Após decisão do TJDFT de validar uma ata caducada, nova direção do PROS pode ser uma sabotagem eleitoral

Até agora somente um deputado federal do PROS anunciou mudança de legenda, ainda os outros e os 03 senadores se mantém no partido, talvez até de olho nos quase 100 milhões de fundo especial de campanha e dos quase 40 milhões de fundo partidário deixado em caixa.

É um risco muito grande parlamentares e ex-administradores do DF se filiarem ao PROS no fim do prazo de filiação, por que pode estar assinando o fim da carreira política nesta insegurança jurídica e partidária que a legenda sofre. Talvez seja um gesto de refugo* de players ou nominateiros para resolverem problemas de vagas ou de concorrência política.

Gostaria de lembrar que fundo partidário e fundo especial de campanha são recursos públicos e passam pelo crivo da lei, qualquer promessa fora disso pode ser considerada crime eleitoral.

*Bom pesquisar o que é refugo na política!

Helio Rosa, planaltinense, 50 anos, casado, pai de três filhos, graduado em ciências naturais e gestão pública. Jornalista e especialista em Administração Pública e Gerência de Cidades. Fez Agenda 21 e Coleta Seletiva. Foi Conselheiro do CONAM-DF e do CBH-Paranaiba. Está como Presidente do Conselho de Desenvolvimento Nacional - CDN. Ministra cursos de empreendedorismo, terceiro setor, trabalho remoto, economias circular, criativa e compartilhada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui