Vacinação contra a influenza começa na segunda-feira (4)

Nesta primeira etapa, devem ser vacinados idosos a partir de 60 anos e trabalhadores da saúde | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Público-alvo no DF é de 1.086.547 pessoas e a meta é vacinar 90% de cada um dos grupos prioritários até 3 de junho

Agência Brasília* | Edição: Rosualdo Rodrigues

A 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza terá início na segunda-feira (4). Nesta primeira etapa, devem ser vacinados idosos a partir de 60 anos e trabalhadores da saúde. A segunda etapa começa em 3 de maio e abrange os demais grupos prioritários elencados pelo Ministério da Saúde.

O público-alvo no Distrito Federal é de 1.086.547 pessoas e a meta é vacinar 90% de cada um dos grupos prioritários até 3 de junho, data prevista para o encerramento da campanha.

Como a campanha de vacinação contra a influenza coincidirá com a realização da vacinação contra a covid-19, a Secretaria de Saúde orienta que seja priorizada a administração da vacina de covid-19 para as crianças de 5 a 11 anos. Assim, essa faixa etária terá prioridade na segunda fase da influenza.

Nessas situações, a orientação é respeitar o intervalo mínimo de 15 dias entre as vacinas para crianças de 5 a 11 anos. Para adultos, não é mais necessário nenhum intervalo entre a vacina da covid-19 e os demais imunizantes. O DF recebeu 95.600 doses contra a influenza, 20% do total dos grupos da primeira etapa. O quantitativo restante será enviado semanalmente pelo Ministério da Saúde ao longo da campanha.

“Entendemos a situação da covid, que estava mais presente ano passado, mas agora pretendemos ter uma bela cobertura na questão da influenza, que é tão importante quanto” – General Manoel Pafiadache, secretário de Saúde

Primeira etapa – 4 de abril a 3 de junho
Idosos com 60 anos ou mais
Trabalhadores da área da saúde

Segunda etapa – 3 de maio a 3 de junho
Crianças a partir de 6 meses até 5 anos, ou seja, 4 anos, 11 meses e 29 dias
Gestantes
Puérperas
Povos indígenas
Professores do ensino básico e superior
Pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais
Pessoas com deficiência permanente
Caminhoneiros
Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso
Trabalhadores portuários
Forças de segurança e salvamento
Forças Armadas
Funcionários do sistema de privação de liberdade
População privada de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas

A vacinação da população-alvo pode reduzir as sobrecargas nos sistemas de saúde e contribuir com a prevenção de possíveis novos surtos de doenças respiratórias pelo vírus da influenza

Cobertura vacinal

No ano passado, o DF não atingiu a meta de cobertura vacinal da campanha. Foram administradas 1.048.225 doses contra a influenza nas redes pública e privada. Desse total de doses aplicadas, 641.990 (61,3%) beneficiaram integrantes de algum dos grupos prioritários. Já o percentual de público-alvo vacinado foi de 67,4%, não atingindo a meta de 90% e sendo o menor dos últimos 10 anos.

O secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, reforçou na coletiva desta quinta-feira (31) a importância de a população se sensibilizar para participar da campanha de vacinação contra a influenza. “Entendemos a situação da covid, que estava mais presente ano passado, mas agora pretendemos ter uma bela cobertura na questão da influenza, que é tão importante quanto”.

O Informe Técnico da 24ª campanha ressalta que a vacinação da população-alvo pode reduzir as sobrecargas nos sistemas de saúde e contribuir com a prevenção de possíveis novos surtos de doenças respiratórias pelo vírus da influenza.

Sintomas

O documento destaca que o período de incubação do vírus é, geralmente, de dois dias, variando entre um e quatro dias. Os sintomas costumam ser febre alta, seguida de dor muscular, na garganta e cabeça, coriza e tosse. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias.

 

Sintomas respiratórios como a tosse e outros tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar.

A transmissão pode ocorrer por meio do contato direto ou indireto com as secreções respiratórias, pelo toque em superfícies contaminadas com o vírus da gripe e, em seguida, na mão, nos olhos, nariz ou boca.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Helio Rosa, planaltinense, 50 anos, casado, pai de três filhos, graduado em ciências naturais e gestão pública. Jornalista e especialista em Administração Pública e Gerência de Cidades. Fez Agenda 21 e Coleta Seletiva. Foi Conselheiro do CONAM-DF e do CBH-Paranaiba. Está como Presidente do Conselho de Desenvolvimento Nacional - CDN. Ministra cursos de empreendedorismo, terceiro setor, trabalho remoto, economias circular, criativa e compartilhada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui