GDF condecora 120 cidadãos com medalha Brasília 60 anos

Honraria foi criada neste governo para homenagear quem desempenha papel relevante na história da capital federal

FONTE: AGÊNCIA BRASÍLIA

O Governo do Distrito Federal (GDF) homenageou, nesta segunda-feira (18), 120 homens e mulheres que contribuíram para a história e o desenvolvimento cultural e econômico de Brasília.

Instituída por meio do Decreto nº 40.473, de 27 de fevereiro de 2020, e assinada pelo governador Ibaneis Rocha, a medalha Brasília 60 anos foi entregue na semana em que a capital federal completará 62 anos de sua fundação. Há dois anos, as festividades de comemoração do aniversário da cidade estavam suspensas devidos às medidas restritivas de aglomeração impostas pelas autoridades sanitárias para conter o contágio da covid-19.

Medalha Brasília 60 anos faz referência à Catedral de Brasília | Foto: Tony Oliveira

“Tenham certeza de que os nomes de cada um de vocês foram escolhidos com muito carinho pelo que representam para esta cidade e pelo que fizeram para a construção do Distrito Federal”, declarou o governador Ibaneis Rocha na abertura da cerimônia, realizada no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

A medalha Brasília 60 anos consiste em uma placa dourada arredondada, na qual, no interior, sobressai uma peça central com 16 pontas e uma peça menor com o mesmo formato em tons de azul, fazendo referência à Catedral de Brasília. A condecoração foi atribuída também ao governador, como membro nato, e aos demais integrantes do Conselho da Medalha Brasília 60 Anos.

Política, cinema e TV

A viúva do ex-governador Joaquim Roriz, Weslian Roriz, estava entre as mulheres homenageadas pela Brasília 60 anos. Primeira-dama do DF por três mandatos, ela se disse grata por tudo que viveu e vive na cidade. “São lembranças maravilhosas, o que pra mim é muito importante, principalmente porque meu marido foi uma pessoa muito querida.”

Aos 87 anos, Vladimir Carvalho tem em sua filmografia 20 títulos, a maioria deles com temas diretamente ligados à cidade. Por todo seu trabalho de projetar a capital nos cinemas de todo o país, ele afirmou que a medalha faz jus à sua importância. “Direi sem modéstia que, por tudo isso, eu a mereci”, brincou.

Foi em um dos programas de humor mais populares da TV que a apresentadora, atriz e psicóloga Maria Paula Fidalgo, ou apenas Maria Paula, imprimiu seu jeito de brasiliense. Filha da segunda geração de cidadãos nascidos e criados na cidade, ela voltou a morar na cidade depois de muitos anos fora e garante estar feliz por isso. “A minha história e a história de Brasília estão juntas, não há como separar”, concluiu.

As indicações à medalha ficaram a cargo do governador Ibaneis Rocha e dos membros do Conselho da Medalha Brasília 60 Anos – composta pelo vice-governador Paco Brito e os titulares das pastas da Cultura, Bartolomeu Rodrigues; Economia, Itamar Feitosa; da Casa Civil, Gustavo Rocha; de Governo, José Humberto; de Comunicação, Weligton Moraes; bem como a chefe de Gabinete da Governadoria, Juliana Monici; a chefe-executiva do Cerimonial da Governadoria, Lorena do Nascimento; e os jornalistas Renato Riella e Paulo Pestana.

Rogério Cirino de Sá Ribeiro, goiano, 51 anos, casado, três filhos. Bacharel em Administração de Empresas pela UNIPLAC. Licenciado em História pela UPIS e MBA em Gestão de Projetos pela ESAD. Empresário do audiovisual desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui