Itapoã Parque: uma minicidade para 12 mil famílias

Com capacidade para cerca de 50 mil moradores, conjunto habitacional teve investimento de R$ 1,65 bilhão e gerou 2.500 empregos. Em três meses, serão entregues os primeiros 2.048 apartamentos

Uma “pequena cidade” vai tomando forma dentro da região administrativa do Itapoã. O conjunto habitacional Itapoã Parque, que terá capacidade para cerca de 50 mil moradores, vai entregar em três meses seus primeiros 2.048 apartamentos.Eles são parte da primeira etapa de uma grandiosa obra, apontada como o maior empreendimento habitacional do Distrito Federal. Um bairro que contará com quatro escolas, dois centros de assistência social e uma grande estrutura. E que gerou 2.500 empregos em sua construção. (Veja arte abaixo).

O Itapoã Parque terá um total de 12.112 unidades, sendo que pouco mais de 6 mil delas serão entregues na primeira fase | Fotos: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

VEja também:

O local terá um total de 12.112 unidades, beneficiando assim mais de 12 mil famílias. Na primeira fase, serão pouco mais de 6 mil imóveis entregues aos contemplados pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab). A seguir, virá a outra metade das moradias.

Também está bem avançada a construção de uma escola, voltada para alunos do ensino fundamental, e de um Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas). O total investido em todo o complexo é R$ 1,65 bilhão, oriundos de recursos de programas federais. Os primeiros passos da obra foram dados em 2019.

Caminhões, máquinas pavimentadoras e centenas de operários podem ser vistos na obra do futuro bairro, que terá 200 hectares de área construída. Alguns condomínios já estão prontos e as ruas de asfalto vão sendo executadas.

“O Itapoã Parque tem como diferencial os equipamentos públicos dentro de seu perímetro. O morador não precisará se deslocar para ter acesso a serviços de educação, para tentar um benefício social”, explica o presidente da Codhab, João Monteiro. “E ali estão as moradias de interesse social, que atendem, na maioria, pessoas que recebem entre um e dois salários mínimos.”

Caminhões, máquinas pavimentadoras e centenas de operários podem ser vistos na obra do futuro bairro, que terá 200 hectares de área construída

Valorização ao redor

Segundo Monteiro, equipamentos de segurança pública e saúde, como delegacia e uma unidade básica de saúde  (UBS), também devem ser projetados futuramente.

“É interessante ver como o Mandala, nosso bairro de maior vulnerabilidade, também cresceu. Ele é vizinho ao Itapoã Parque e ganhou prédios, mais infraestrutura”, revela o administrador regional, Marcus Cotrim. “Esse empreendimento vai beneficiar e muito o Itapoã. As melhorias que não tivemos condições e nem espaço para fazer virão com o novo espaço”, comemora ele.A expectativa dos futuros moradores é grande. No momento, os apartamentos que medem 46 ou 60 metros quadrados estão sendo vistoriados pelos beneficiados

Espaço para 4 mil alunos

O Itapoã vai receber seu primeiro Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), unidade da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) que atende pessoas e famílias em situação de violência ou violação de direitos. E terá mais um Centro de Referência de Assistência Social (Cras) para a população. Serão três novas escolas de ensino fundamental e um centro de ensino infantil. Segundo avaliação da Coordenação Regional de Ensino (CRE), serão em torno de 4 mil alunos beneficiados.

Já está em construção um dos primeiros equipamentos públicos do bairro, o Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas)

A escolas classe têm o mesmo padrão. São cerca de 6 mil m2 de área, capacidade para 1.300 alunos e uma estrutura que abriga em torno de 100 salas de aula, laboratório de ciência, informática, ginásio, entre outros. O colégio da quadra 502 já está 80% pronto e, no momento, recebe uma vistosa pintura azul e branca.

“Isso facilita demais a vida das pessoas e também o processo educacional, o fato de o estudante descer do apartamento onde mora com a família e ter a escola do lado”, observa o coordenador da Regional de Ensino do Itapoã/Paranoá, Ranieri Falcão. Hoje, são seis escolas da rede pública em toda a RA.

Vistorias do novo lar

A expectativa dos futuros moradores é grande. No momento, os apartamentos que medem 46 ou 60 metros quadrados estão sendo vistoriados pelos beneficiados. Juntamente com uma equipe da construtora responsável, eles já podem dar uma espiada naquele que será o novo lar.

“Eu gostei bastante. Muito melhor que os outros apartamentos que conheci dos programas habitacionais”, conta a auxiliar administrativa Luciene da Silva, 54. “Vai ter escola, comércio, espaço para lazer. Isso é muito bacana para nós e as famílias grandes”, diz ela, que pretende morar com a mãe no local.

A alegria do leiturista da Neonergia, Naldimar Rodrigues, era notória. Aos 43 anos, deixará a casa da mãe em Samambaia para ocupar o novo apê. Segundo ele, há dez anos se inscreveu na lista da Codhab e agora é chegada a hora. “Estou muito feliz porque esperei muito por esse momento de vir para minha própria casa”, conta. “O condomínio está muito lindo e, assim que inaugurar, já venho aqui pra tirar as medidas e poder mudar”, finaliza o rapaz.

Arte: Agência Brasília

 

 

Rogério Cirino de Sá Ribeiro, goiano, 51 anos, casado, três filhos. Bacharel em Administração de Empresas pela UNIPLAC. Licenciado em História pela UPIS e MBA em Gestão de Projetos pela ESAD. Empresário do audiovisual desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui