Bolsonaro sobre o lucro da Petrobrás: “é um estupro”

Vocês não podem mais aumentar mais os preços dos combustíveis’, disse o presidente.

Por Hélio Rosa

O recado foi dado durante a live semanal do presidente nessa quinta-feira (5/5). Bolsonaro classificou os lucros da companhia “um estupro”.

No mesmo dia a Petrobras divulgou o lucro líquido da estatal no primeiro trimestre deste ano: R$ 44,561 bilhões.

Veja o que falou o presidente:

“Eu não posso entender, a Petrobras durante crise da pandemia e a guerra lá fora, a Petrobras faturar horrores. O lucro da Petrobras é maior que a crise. Isso é um crime, é inadmissível. Eu posso estar equivocado, mas não consigo entender”.

“O Brasil, se tiver mais um aumento (no preços dos combustíveis), pode quebrar o Brasil. E o pessoal da Petrobras não entende, ou não quer entender. A gente sabe que têm leis. Mas a gente apela para a Petrobras que não aumente os preços”.

“Sei que tem acionistas. Mas quem são os acionistas? Fundos de pensões dos Estados Unidos. Nós estamos bancando pensões gordas nos Estados Unidos.

Petrobras, estamos em guerra. Petrobras, não aumente mais o preço dos combustíveis. O lucro de vocês é um estupro, é um absurdo. Vocês não podem mais aumentar mais os preços dos combustíveis”.

“O momento é de guerra. A gente apela para a Petrobras. Não reajuste os preços dos combustíveis. Vocês estão tendo um lucro absurdo. Se continuar tendo lucro dessa forma, e aumentando o preço dos combustíveis, vai quebrar o Brasil”, disse.

“O presidente da Petrobras, não quero criticá-lo, acabou de entrar, mas ele ganha por mês R$ 210 mil. Cada um dos diretores ganha R$ 110 mil. E, quando acaba o ano, se a Petrobras for lucrativa, como está sendo, eles ganham mais seis, sete ou oito salários de bonificação. Essas pessoas não estão preocupadas com o preço do combustível. Não quero criticá-los, mas com esse salário vocês têm obrigação de buscar alternativa”.

“Ô ministro Bento Albuquerque. Senhor José Mauro, diretor da Petrobras: vocês não podem aumentar o preço do diesel. Eu não estou apelando, eu estou fazendo uma constatação levando em conta o lucro abusivo que vocês tem. É um apelo agora: Petrobras não quebre o Brasil. Não aumente o preço do petróleo. Eu não posso intervir, vocês tem lucro, tem gordura. E tem um papel social da Petrobras definido na Constituição”.

“Estamos em guerra. Petrobras, não aumente o preço do diesel. Senhores governadores juntamente com a Confaz, cumpram o votado e sancionado há 3 meses. Diminuam o valor do ICMS do diesel. É um apelo que faço em nome do Brasil, para que o Brasil não quebre e não entre em um caminho semelhante ao que infelizmente aconteceu no governo Temer. Não tem culpa o governo Temer naquela crise dos caminhoneiros. E nós sabemos como começa e como termina: uma situação incontrolável”.

Segundo fontes pode estar chegando ao fim a política de preços instaurada no governo Temer e a paridade ao dólar.

Helio Rosa, planaltinense, 50 anos, casado, pai de três filhos, graduado em ciências naturais e gestão pública. Jornalista e especialista em Administração Pública e Gerência de Cidades. Fez Agenda 21 e Coleta Seletiva. Foi Conselheiro do CONAM-DF e do CBH-Paranaiba. Está como Presidente do Conselho de Desenvolvimento Nacional - CDN. Ministra cursos de empreendedorismo, terceiro setor, trabalho remoto, economias circular, criativa e compartilhada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui