Empate técnico de Ibaneis com sua rejeição; Segundo turno pode ser da oposição

Pesquisa do Metrópoles/ Ideia aponta 30% para Ibaneis e 28,6% para sua rejeição

O método foi a estimulada/ quantitativa e o mais interessante é que Ibaneis (MDB) empata também tecnicamente com o somatório de 26,7%, que inclui os 7,4% de brancos e nulos, e 19,3% dos que não sabem em quem votar para o Palácio do Buriti.

Como a margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, o empate técnico é notório.

Esqueceram de incluir o ex-governador José Roberto Arruda (PL) e transferir o nome da deputada federal Flávia (PL) 8,5% para o Senado.

O governador empatou com a oposição que ainda nem se posicionou com a indefinição do senador Reguffe (União Brasil) com 10,6%, mais a subida da senadora Leila (PDT) para 6%, após seu lançamento à pré-candidatura ao GDF.

Com o recente imbróglio da cúpula do PT que indicou pela federação o distrital Leandro Grass (PV) 2,9% ao Governo, em detrimento de Magela (PT) 1,3% que agora vai ao Senado e Rosilene (PT) 1,1%, que aguarda a decisão dos petistas no encontro nacional do partido no início de junho.

Mais Izalci Lucas 5,4% e Rafael Parente 6% que já estão em campo para a disputa ao Buriti. Também com Keka Bagno (Psol) com 1,3%, Lucas Sales (DC) e João Vicente Goulart (PCdoB), ambos com 0,2% cada.

Toda a oposição somou 29% com 28,6% da rejeição, dá um total de 57,6%, se isso realmente acontecer, Ibaneis perde para qualquer um dos nomes da oposição que for para o segundo turno, até por que ainda tem os brancos, nulos e as abstenções.

Foram entrevistadas 1.200 pessoas de 16 anos ou mais, com Título de Eleitor, em todas as regiões administrativas do Distrito Federal, entre os dias 11 e 16 de maio.

Pelo jeito, o maior adversário de Ibaneis é ele mesmo.

Helio Rosa, planaltinense, 50 anos, casado, pai de três filhos, graduado em ciências naturais e gestão pública. Jornalista e especialista em Administração Pública e Gerência de Cidades. Fez Agenda 21 e Coleta Seletiva. Foi Conselheiro do CONAM-DF e do CBH-Paranaiba. Está como Presidente do Conselho de Desenvolvimento Nacional - CDN. Ministra cursos de empreendedorismo, terceiro setor, trabalho remoto, economias circular, criativa e compartilhada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui