Cidade Estrutural unida por dignidade

Projeto Tijolo Solidário é uma pauta social que une partidos e até adversários políticos

Quando se trata em dar dignidade ao povo sofrido de Santa Luzia, as vozes se transformam em uma só. Os grupos de whatsapp estão sendo criados para a mobilização social, bem como para se tirar as dúvidas referentes à questão da relação do Estado e a sociedade civil quanto à sustentabilidade.

O idealizador do Projeto, Paulão da Estrutural, que também participou da fundação da cidade no final da década dos anos 90, continua visitando lideranças comunitárias, políticas e religiosas, cooperativas de catadores e representantes de vários seguimentos sociais da Estrutural/Santa Luzia. Ele diz que gerar qualidade de vida para Santa Luzia também gerará para a Estrutural.

O atual administrador, Alceu Prestes, que é um apoiador declarado do projeto Tijolo Solidário faz questão de colaborar. Alceu já foi administrador na época do Roriz e do Arruda e, agora, do governador Ibaneis que lhe deu mais esta missão que não será muito fácil.

Leia também:

Portabilidade permite redução de até 50% nas parcelas do crédito consignado

Portanto, a sociedade civil organizada apresenta uma solução para atender a demanda de déficit habitacional e dos restos de construção civil. Trata-se da fabricação de tijolos ecológicos com a participação da comunidade em mutirões para a construção de suas próprias casas. Paulão, neste primeiro momento, só está pedindo ao Governo que se atenda, prioritariamente, pela Cidade Estrutural.

Outra pauta que está sendo definida é a elaboração e construção da nova creche Aleguin localizada na Estrutural, o Arquiteto do projeto junto com o apoio da UNB já está fazendo o projeto de arquitetura da primeira creche ecologicamente correta do DF.

Sereno e tranquilo, Paulão da Estrutural afirma que o projeto não é só dele, e sim de todo o povo, por se tratar de interesse público.

A direção do projeto aguarda a oficialização das parcerias com o GDF, que estão sendo construídas da melhor forma possível.

“Quem precisa de dignidade tem pressa, um projeto dessa magnitude não pode ser espaço para interesses individuais”, disse Paulão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui