Vôlei: Lucão se irrita com a virada dos russos no terceiro set em cima do Brasil: “É f***”

A esperança de um bicampeonato olímpico da equipe masculina de vôlei do Brasil em Tóquio acabou nesta quinta-feira. O país competiu contra o Comitê Olímpico Russo, e até começou bem, mas russos viraram o jogo e o Brasil perdeu por 3 sets a 1 (25/18, 21/25, 24/26 e 23/25). Esta é a primeira vez que os brasileiros ficam de fora de uma final olímpica desde 2000, em Sydney. O central Lucas Saatkamp, famoso Lucão, acredita que o terceiro set foi crucial para derrota.

– Eles fizeram uma reviravolta no terceiro set. É complicado, porque você está jogando bem e vem uma pedra em cima de você. É f*** psicologicamente reverter isso. Mas a gente começou bem o quarto set. A gente estava na frente, mas eles começaram a ter confiança. Aquela confiança que eles tinham perdido ali no terceiro set, eles cresceram e fizeram o que melhor sabem: sacaram muito bem e dificultaram nossa virada de bola principalmente no final do terceiro set e no quarto set. A gente sabia que era uma equipe pesada. É um ponto forte deles a potência no saque, e geralmente isso acontece quando se tem confiança. A culpa foi nossa que colocamos eles no jogo. Depois que entraram no jogo fica difícil controlar. É muito difícil virar essa chave depois que você toma uma porrada como a gente tomou no terceiro set – disse Lucão ao “Globo Esporte”.

+ Saiba quanto recebem os atletas brasileiros por medalhas conquistadas

Esta não é a primeira vez que o Brasil perde para a equipe russa, eles também foram derrotados na fase de grupos dos Jogos Olímpicos de Tóquio por 3 sets a 0. Apesar de terem começado bem a semifinal conquistando o primeiro set. Só que na segunda parcial os russos deram a volta por cima e levaram a vitória no terceiro set, além de concluírem o jogo com a liderança no quarto set.

– São coisas que acontecem no esporte. Não é a primeira vez que a gente vê isso acontecer em Jogos Olímpicos, com várias seleções de travar às vezes em uma rede. Foi isso que aconteceu. Eles foram felizes com a entrada do Podlesnykh, que entrou firme no saque, travou aquela rede ali. São coisas que infelizmente acontecem no esporte. Que fique o aprendizado para que em momentos assim talvez a gente encontrar outras soluções – disse o técnico Renan dal Zotto em entrevista a “TV Globo”.

O brasileiro Wallace de Souza não acha que eles tenham contado vitória antes do tempo no terceiro set. Ele ainda acredita que na verdade a Seleção estagnou diante do crescimento dos adversários.

– Não acho que seja excesso de confiança. Acredito que travamos de novo na rede. Isso é fogo, não pode acontecer com uma equipe como a da Rússia. Então, pegamos um preço caro. Não tem muito o que falar. Tem que dar os méritos para eles também. Erramos em alguns momentos, não conseguimos girar algumas bolas. Isso daí pesa bastante. Então, é pensar na disputa de terceiro. Jogar como se fosse uma final para tentar essa medalha.

Mas ainda há uma chance de medalha, agora a disputa pelo bronze será contra o perdedor do jogo entre Argentina e França, cujo confronto acontece nesta quinta-feira, às 9h (horário de Brasília). O Brasil jogará no sábado, à 1h30.

– A gente lamenta demais não sair daqui com uma vitória. A gente queria disputar uma final, mas bola pra frente. Vamos dar parabéns à equipe russa, porque jogou agressivamente o tempo todo. A gente suportou um bom tempo e na metade do jogo em diante não conseguimos imprimir um ritmo forte de saque. Eles jogaram com o passe na mão, e é difícil jogar contra eles assim. Mas a garotada está de parabéns porque se entregou ao máximo. Agora vamos pensar em uma medalha de bronze – finalizou o técnico Renan dal Zotto.

Todas as vezes que o Brasil disputou a final em Jogos Olímpicos
Atenas 2004: Brasil 3 x 1 Itália
Pequim 2008: EUA 3 x 1 Brasil
Londres 2012: Rússia 3 x 2 Brasil
Rio 2016: Brasil 3 x 0 Itália

Por Yahoo Esportes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui