Manifestação contra Lula lotam frente da Assembleia Nacional Portuguesa

Manifestantes lotam ruas ao redor da Assembleia da República em Portugal em protesto à presença de  Lula (PT) no parlamento nesta terça-feira, 25 de abril de 2023.

Por Rogério Cirino

A data escolhida para a recepção do chefe do Executivo brasileiro, o feriado de 25 de Abril, causou controvérsia no país europeu. O esquema de segurança da região foi reforçado e foram instaladas grades de proteção para coibir confrontos. O efetivo de policiais atuando na região não foi divulgado.

A manifestação contrária a Lula foi convocada pelo partido de direita radical português Chega. Os manifestantes entoam frases como “não vai ter picanha” e “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão” e mostram cartazes e bandeiras. O Poder360 estima algumas centenas de pessoas presentes no ato –público semelhante ao de manifestação favorável ao presidente.

Uma das controvérsias envolvendo o discurso de Lula no parlamento é relacionada à data escolhida. Outra, diz respeito às declarações de Lula sobre a guerra na Ucrânia. O chefe do Executivo disse em 15 de abril ser “preciso que os EUA parem de incentivar a guerra” e “que a União Europeia comece a falar em paz”. Também chegou a falar que o conflito entre Rússia e Ucrânia é culpa dos dois países. Desde que chegou a Portugal, porém, Lula mudou o tom. No sábado (22.abr), assinou uma declaração conjunta com o primeiro-ministro português, António Costa, repudiando “a violação da integridade territorial da Ucrânia pela Rússia”.

O convite para falar no parlamento foi feito em 23 de fevereiro pelo ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, João Gomes Cravinho, em visita a Brasília. A princípio, o chanceler português anunciou que Lula discursaria durante a sessão solene em homenagem à Revolução dos Cravos, que marca o fim da ditadura em Portugal. Parlamentares portugueses, no entanto, afirmaram que o Poder Executivo estava desrespeitando a autonomia do Legislativo ao decidir quem fala na Assembleia. Para resolver a questão, foi criada uma sessão especial para o presidente brasileiro antes da solenidade do 25 de Abril. O discurso de Lula foi marcado para às 10h de Lisboa (6h em Brasília) e a sessão solene foi mantida às 11h30 no horário local (7h30 em Brasília).

Lula poderia participar das comemorações da democracia como ouvinte, mas optou por deixar o parlamento depois de seu discurso. Ele seguirá para Madri, na Espanha, onde cumpre dois dias de compromissos. Desde fevereiro, o líder do partido de direita Chega, André Ventura, vem dizendo que Lula “não vai ter vida facilitada” durante a visita ao país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui