Paulo Octávio pode ser o próximo Senador junto com Ibaneis Rocha

Ibaneis não deve deixar o 15 (MDB), pois será sua legenda como primeiro Senador; Paulo Octávio é do PSD | Foto: Reprodução

 

Estratégia política visa fortalecer o Fundo Constitucional do DF e garantir as duas vagas para o Senado Federal 

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, está planejando a sua sucessão e não pretende abandonar o partido 15 (MDB), que será sua legenda na disputa pelo cargo de Senador. Com a urgência de garantir a manutenção do Fundo Constitucional do DF (FCDF) e neutralizar possíveis adversidades, o governador busca lançar Celina Leão (PP) como sua sucessora em 2026.

Na Câmara Federal, o partido da vice-governadora, o PP, liderado pelo Presidente Arthur Lira, terá a intenção de neutralizar qualquer tentativa de aprovação de um novo cálculo do FCDF durante a confirmação do arcabouço fiscal.

Já no Senado, o relator Omar Aziz, do PSD, que pertence ao mesmo partido do Presidente Rodrigo Pacheco, retirou o texto que incluía o FCDF nas novas regras fiscais. Essa ação política pode render a segunda vaga ao Senado Federal para o PSD-DF, e certamente Aziz cobrará algo em troca do governador do DF.

O empresário Paulo Octávio, presidente do PSD-DF e pupilo da legenda em Brasília, soube aproveitar a situação e contou com a articulação do presidente nacional do partido, Rodrigo Pacheco. Essa jogada busca um xeque-mate nas forças políticas locais e garantir a unanimidade de Ibaneis em 2026, quando o primeiro voto para o Senado for solicitado e carregar o segundo voto.

Essa estratégia é semelhante ao passado, quando ocorreu a eleição de Cristóvão e Rollemberg ao Senado, conquistando as duas vagas. Agora, a decisão está tomada e resta administrar a reação das forças políticas locais e externas no Distrito Federal para que o xeque-mate seja efetivo.

(Lembrando aos leitores que análise política nem sempre é a posição do autor!)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui