Relatório aponta “significativas limitações de memória” de Biden

Conselheiro especial revela preocupações sobre a memória do presidente dos EUA, descrevendo-a como “turva”, “confusa” e “defeituosa”.

As preocupações em relação à idade e à memória do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ganharam destaque com a divulgação de um relatório de um conselheiro especial que investigava a posse de documentos confidenciais pelo presidente.

O relatório descreve a memória do democrata de 81 anos como “turva”, “confusa”, “defeituosa”, “ruim” e com “limitações significativas”, apontando para a incapacidade de Biden de recordar marcos definitivos em sua própria vida. Em detalhes específicos, o relatório menciona que Biden esqueceu detalhes sobre sua época como vice-presidente e não se lembrou de eventos importantes, como a morte de seu filho Beau.

A Casa Branca rebateu as características do relatório, afirmando que a incapacidade de Biden de recordar eventos de anos atrás não é surpreendente ou incomum. Uma carta dos advogados do presidente, incluída no relatório do procurador especial Robert Hur, argumenta que a linguagem usada no relatório não é precisa ou apropriada.

A carta destaca que a falta de recordação de eventos ocorridos há anos é comum entre as testemunhas e critica a abordagem do relatório, considerando-a prejudicial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui