Relator menciona bonecos de Olinda e prisão de Lula ao votar contra cassação de Moro

Desembargador apresenta parecer contrário à cassação do mandato de Moro no TRE-PR.

Ao apresentar seu parecer contra a cassação do mandato do senador Sergio Moro (União Brasil-PR), o desembargador Luciano Carrasco Falavinha, relator do caso no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), trouxe à tona referências peculiares, incluindo bonecos do Carnaval de Olinda (PE) e a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O desembargador ressaltou que o julgamento não deveria se voltar para avaliar a Operação Lava Jato, seus protagonistas ou o fato de Sergio Moro ter assumido o Ministério da Justiça no governo Bolsonaro. Falavinha argumentou que Moro não cometeu abuso de poder econômico em sua campanha ao Senado em 2022, citando a notoriedade adquirida pelo ex-juiz durante a Lava Jato.

Segundo Falavinha, as repercussões da operação, como a condução coercitiva de Lula e os bonecos de Olinda que representavam Moro, garantiram visibilidade ao nome do ex-juiz. O relator destacou ainda as manifestações em defesa da Lava Jato, com bonecos em alusão ao investigado, como indícios da popularidade de Moro.

O julgamento foi suspenso após pedido de vista do desembargador José Rodrigo Sate e será retomado na próxima quarta-feira (3). A defesa de Moro sustentou que não há irregularidades em sua eleição e argumentou que as acusações inflaram os gastos de sua pré-campanha presidencial. Se condenado, além de perder o mandato, Moro poderia ficar inelegível por oito anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui