RS em alerta: previsão de chuvas intensas e frio podem piorar a catástrofe

Imagem: Marinha do Brasil

Estado se Prepara para Possíveis Inundações e Agravamento das Cheias

O Rio Grande do Sul está em alerta devido à previsão de chuvas intensas e queda de temperatura para os próximos dias, o que aumenta o risco de inundações e agrava a situação das áreas já afetadas pelas enchentes. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), novas chuvas devem atingir o estado a partir desta sexta-feira (10), estendendo-se até o domingo (12), especialmente nas regiões centro-norte e leste, incluindo o litoral norte e o sul de Santa Catarina.

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais emitiu um alerta considerando como “muito alta” a possibilidade de novas ocorrências hidrológicas em várias regiões do estado. Essas chuvas são acompanhadas de uma queda significativa na temperatura, devido à entrada de ar frio pelo estado de Santa Catarina e ao avanço de uma frente fria.

De acordo com o Inmet, o sistema meteorológico pode recuar para o sul do estado ao longo do dia, trazendo consigo rajadas de vento que podem dificultar o escoamento das águas, especialmente na direção da Lagoa dos Patos em direção ao oceano. Espera-se acumulados de chuva significativos, podendo ultrapassar os 150 milímetros em algumas áreas, o que pode agravar ainda mais a situação das enchentes.

Além das chuvas, há previsão da formação de um ciclone extratropical, o que aumenta o risco de fortes ventos e mais dificuldades no escoamento das águas. Especialistas alertam que o nível do Rio Guaíba pode atingir novamente a marca dos 5 metros, o que poderia igualar ou até mesmo superar a máxima histórica registrada recentemente.

Até o momento, mais de 1,7 milhão de pessoas foram afetadas pelas tempestades, com 107 mortes confirmadas, 764 feridos e 134 desaparecidos. A população do estado mobiliza-se para enfrentar a situação, enquanto as autoridades se preparam para prestar assistência às áreas mais atingidas e garantir a segurança da população diante da iminência de novas chuvas e do agravamento das cheias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui